Pensa em viajar para Rússia? Confira regras e restrições de viagens durante a pandemia

Aeroporto Vnukovo, em Moscou

Aeroporto Vnukovo, em Moscou

Ievguêni Biatov/Sputnik
A Rússia diminuiu as restrições para viagens de e para o país em agosto. No entanto, a situação em relação aos voos internacionais ainda é motivo de problemas.

Quem pode entrar na Rússia

No momento em que esta reportagem foi escrita, a Rússia mantém suas fronteiras abertas apenas para cidadãos dos seguintes países:

Abecásia

Bielorrússia

Reino Unido

Tanzânia

Peru

Os cidadãos desses países podem entrar e sair livremente da Rússia, sujeitos aos regulamentos de visto. Isto é, cidadãos do Reino Unido, Tanzânia e Turquia precisam obter visto antes de chegar à Rússia. Quanto a Abecásia, Bielorrússia e Peru, a Rússia possui um regime de isenção de visto com esses três países. 

Painel de voos no Terminal B do aeroporto Sheremetievo, em Moscou

Além disso, em 2 de agosto, a Rússia abriu suas fronteiras para cidadãos suíços, mas os voos internacionais de e para o país europeu serão retomados em 15 de agosto. Os voos serão operados uma vez por semana na rota Moscou-Genebra-Moscou.

Cidadãos de outros países também podem entrar na Rússia se:

- forem membros da família de cidadãos russos (incluindo cônjuges, pais, filhos, responsáveis ​​e tutores). Avós e irmãos não estão incluídos na lista. Ao solicitar um visto, você precisará fornecer documentos que comprovem o parentesco;

- tiverem residência permanente na Federação Russa. Autorização de residência temporária na Rússia não é aceita;

- estiverem viajando para comparecer ao funeral de um parente próximo. Para entrar no país, será necessário apresentar a certidão de óbito e documentos que comprovem o parentesco;

- estiverem viajando para cuidar de parentes próximos. Para entrar no país, serão necessários atestados médicos e documentos comprovando parentesco;

- estiverem viajando para tratamento médico na Rússia. Para entrar no país, será preciso apresentar um certificado emitido por uma clínica estatal ou privada russa. O documento deve conter a data da consulta médica, o nome completo do paciente e o tipo de procedimento, além dos dados e carimbo da organização médica.

Existem várias categorias de cidadãos estrangeiros para os quais a Rússia não proibiu a entrada. São elas:

- Diplomatas;

- Funcionários de estabelecimentos consulares na Federação Russa;

- Motoristas de caminhão entregando mercadorias para a Rússia;

- Membros de delegações oficiais e titulares de visto oficial;

- Tripulações de aeronaves, tripulações de navios marítimos e fluviais e tripulações de trens e locomotivas de serviços ferroviários internacionais.

Passageiros em fila para teste rápido de coronavírus no aeroporto Vnukovo, em Moscou

Em todos os outros casos, cruzar a fronteira da Federação Russa será considerado ilegal. As pessoas que violarem a lei podem ser multadas em até 200.000 rublos (pouco mais de R$ 15 mil) ou enfrentar trabalho forçado ou prisão por até dois anos.

Nenhuma viagem sem atestado

Em 27 de julho, Anna Popova, chefe do Serviço Federal de Supervisão da Proteção dos Direitos de Consumidores e do Bem-Estar Humano (Rospotrebnadzor), assinou uma normal segundo a qual todos os estrangeiros que chegam à Rússia devem, a bordo do voo, portar um atestado confirmando que tiveram teste negativo para coronavírus.

O certificado, que deve ser emitido no máximo três dias antes da chegada à Rússia, pode estar impresso em russo ou inglês.

Não há mais quarentena obrigatória de duas semanas na chegada ao país Rússia.

Viajando para fora da Rússia

As seguintes categorias de cidadãos também podem viajar para fora do país:

- Pessoas com dupla nacionalidade;

- Pessoas com residência permanente em outro país;

- Cidadãos com visto de trabalho ou visto emitido para tratamento médico em outro país;

Retomada de viagens aéreas e cancelamento de voos

Apesar da suspensão das restrições às viagens de e para a Rússia, as companhias aéreas russas começaram a ter problemas com voos internacionais.

Desde o início de junho, a principal delas, Aeroflot, vendia passagens para voos de Moscou para dezenas de cidades, incluindo Frankfurt am Main, Paris, Londres, Nova York, Roma, Seul e Tel Aviv. Outra grande companhia aérea, a S7, também está operando voos de Moscou para Alicante (Espanha) e Nice (França).

Chegada de voo da Aeroflot vindo de Nova York

No entanto, suspeitava-se que a Aeroflot estava promovendo venda ilegal de passagens para países com conexões aéreas restritas, conforme apontado pelo Serviço Federal Antimonopólio. Diante disso, no último dia 6 de agosto, a Aeroflot anunciou o cancelamento de praticamente todos os seus voos internacionais. Uma lista completa e atualizada de cidades para as quais a companhia aérea não operará voos até 31 de agosto foi publicada no site oficial da empresa.

De acordo com a página da Agência Federal de Transporte Aéreo (Rosaviatsia), a maioria das companhias aéreas russas está planejando retomar sobretudo os voos para a Turquia, um destino popular de férias de verão entre os russos.

“O número de voos regulares e charter para a Turquia deve aumentar significativamente nesta semana. As companhias russas Sibir, Ural Airlines, Royal Flight, Nordwind Airlines, Azur Air, Rossiya Airlines e iFly estão planejando iniciar os voos”, informou o regulador aéreo. Os voos para Moscou pelas companhias aéreas internacionais Turkish Airlines e British Airways também devem ser retomados.

LEIA TAMBÉM: Brasil tenta acordo para produzir vacina russa contra o coronavírus

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies