75% dos russos apoiam isolamento e medidas do governo para combater o coronavírus

Reuters
Níveis mais baixos de adesão são registrados entre pessoas com idades de 25 a 44 anos. Algumas regiões observaram ‘protestos virtuais’ em apps de localização.

Três quartos dos cidadãos russos apoiam as medidas adotadas pelas autoridades do país para impedir a disseminação do novo coronavírus, de acordo com pesquisa elaborada pelo Centro de Pesquisa de Opinião Pública da Rússia (VTsIOM) e pelo centro de pesquisa sem fins lucrativos Osoboie Mnenie.

“A maioria absoluta dos entrevistados (75%) apoia as medidas das autoridades para impedir a propagação do coronavírus. Apenas 13% dos entrevistados disseram não apoiar as medidas tomadas, e 11% disseram não saber responder à pergunta. O apoio das medidas implementadas aumenta conforme a idade; no entanto, os níveis mais baixos de apoio são registrados entre os entrevistados com idades entre 25 e 34 anos, e entre 35 e 44 (64% e 70%, respectivamente)”, destacam os pesquisadores.

Os principais motivos por trás do apoio às medidas são o “medo por si e pela família” (46%) e a “conformidade administrativa” (22%).

A rejeição de medidas pode ser frequentemente explicada pelo medo de agravar a situação financeira e por um conjunto de razões que negam a existência do coronavírus, a eficiência das medidas adotadas e a vulnerabilidade do próprio sistema imunológico à infecção. Os homens se mostram menos propensos a aceitar as medidas das autoridades locais do que as mulheres (68% contra 81%).

A pesquisa nacional foi realizada em 14 de abril por meio de entrevista telefônica, envolvendo 1.600 indivíduos com idade superior a 18 anos. A margem de erro dos estudos é de 2,5 pontos para mais ou para menos.

Protestos virtuais

Recentemente, moradores de mais de 10 cidades russas aderiram a um protesto virtual por meio dos serviços móveis de navegação por GPS “Yandex.Navigator” e “Yandex.Maps”. Ambos os aplicativos apresentam função de bate-papo pelas quais é possível marcar um ponto no mapa e adicionar comentários.

A função, que é normalmente usada por motoristas para avisar sobre acidentes nas vias, passou a servir de plataforma para protestos contra o regime de autoisolamento imposto pelo governo russo. “Não queremos passar fome”, “Deixem-nos trabalhar” e “Como pagarei meu empréstimo?” foram algumas das mensagens deixadas.

Com o aumento abrupto de comentários, os moderadores do Yandex. começaram a remover os comentários não relacionados à situação do tráfego.

O Kremlin também teria monitorado as publicações. Segundo o porta-voz da presidência, Dmítri Peskov, o governo irá levar em conta as reclamações do povo.

VEJA TAMBÉM: Assim como na Itália e Espanha, russos cantam na varanda para suportar a quarentena

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies