Sistema de autorização digital gerou resultado contrário ao esperado e tumultos em Moscou (FOTOS)

Olga Kojokina/TASS
Enormes engarrafamentos se formaram nas vias da capital, além de filas enormes linhas do lado de fora do metrô para checagem das autorizações. Nessas circunstâncias, distanciamento social simplesmente virou lenda.

Em 15 de abril, Moscou introduziu um sistema de autorizações digitais para controlar a quarentena. Assim, é preciso solicitar por telefone ou computador uma autorização para qualquer tipo de movimentação por meio de veículo privado ou trasnporte público.

Com o início do sistema, desde o período matutino, iniciaram-se os congestionamentos e longas filas de pessoas se formaram do lado de fora das estações de metrô para que a polícia verificasse as autorizações de cada passageiro. Usuários de redes sociais escreveram que ninguém estava mantendo a distância recomendada nas filas.

“Moscou, 15 de abril de 2020, manhã do primeiro dia do sistema de autorizações de saída na pandemia. Fizeram eu tirar a máscara para checar se meu rosto era o mesmo do passaporte. Agora já posso dizer que estou atrasado para o trabalho por causa do congestionamento de gente no metrô!”, escreveu um usuário do Instagram.

“As pessoas estão tão próximas umas das outras... Ninguém está seguindo o distanciamento social. É justamente por causa dessas multidões que o vírus se espalha tão facilmente”, escreveu Irina Firsova, que também acabou presa na fila.

Já nos vagões do metrô, não houve aglomerações.

Algumas rodovias que levam a Moscou tinham trânsito pesado. Em alguns postos de controle, a polícia de trânsito inspecionava as autorizações de todos os motoristas. Em outros, a checagem era aleatória.

O prefeito de Moscou, Serguêi Sobiânin, escreveu no Twitter que pediu ao chefe de polícia da cidade que “organize o trabalho de modo a não causar aglomerações".

“As filas terminaram. O processo foi normalizado. Mas, no futuro, o sistema de controle precisará ser automatizado. Pensaremos sobre como fazê-lo", acrescentou o prefeito.

O porta-voz do presidente Putin, Dmítri Peskov, também comentou a situação. "Não é certo dizer que a polícia não está dando conta. Os policiais acabaram de começar com o sistema de autorizações. É compreensível que todos os moscovitas têm obrigação de colaborar. Isto é do interesse de todos os moscovitas", disse aos jornalistas.

O prefeito Serguêi Sobiânin anunciou mais tarde que as verificações das autorizações no transporte público em Moscou seriam reforçadas cada vez mais no futuro.

Mais tarde, o ministro do governo da capital, Evguêni Dantchikov, afirmou que as autoridades de Moscou planejam criar um modo de verificação automatizado das autorizações, lançando um sistema para vinculá-las a cartões de transporte e cartões sociais.

“Em um futuro próximo, lançaremos um sistema em que o controle será realizado através dos cartões Troika (espécie de “bilhete único” moscovita), dos cartões sociais e dos cartões Strelka (“bilhetes únicos” que funcionam em toda a região de Moscou). 

A ideia é vincular o número da autorização de movimentação aos cartões citados para que os cidadãos passem normalmente pelas catracas sem ter que parar para a verificação, que será eletrônica. 

LEIA TAMBÉM: “Ninguém nos fornece máscaras e luvas”: as histórias de quem não pode parar em tempos de coronavírus

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies