“Eu não sou bagagem!” Movimento on-line tenta mudar regras de voo com pet após morte de gatos

Legion Media
Dois animais morreram recentemente durante um voo da companhia russa Aeroflot. Incidentes causaram indignação em donos de pets, que exigem normas e garantias.

Um segundo escândalo envolvendo animais de estimação aconteceu a bordo da Aeroflot este ano. No voo de Nova York para Sofia, com conexão em Moscou, dois dos três gatos que viajavam no compartimento interno foram encontrados mortos, enquanto outro estava à beira de congelamento. Seus contêineres haviam sido bastante danificados durante o transporte.

O dono dos gatos mortos, Maksim Tchumatchenko, exigiu a abertura de uma investigação baseando-se no artigo de lei sobre crueldade contra animais.

“Acho que minha reivindicação às pessoas que fizeram isso nunca será satisfeita. Existe um artigo do Código Penal da Federação Russa sobre isso – crueldade para com os animais. Eu quero que eles sejam condenados apenas neste artigo”, disse Maksim, em um vídeo publicado em seu perfil no Facebook.

A Aeroflot, que não demorou para reagir, emitiu um comunicado oficial transferindo a culpa para a empresa de “handling” (que cuida da transferência de bagagens) do Aeroporto Sheremetievo, em Moscou. A companhia, por sua vez, divulgou uma nota em seu site oficial. Ambos, no entanto, chegaram à mesma conclusão: há necessidade de mudanças no serviço bagagens e contêineres, e melhoria dos padrões existentes.

O caso ganhou repercussão nacional. Os donos de animais de estimação não ficaram satisfeitos com as reações oficiais e começaram a compartilhar suas próprias experiências, resultando em uma espécie de flash mob on-line, no qual cães e gatos estão sentados dentro de malas com o bilhete “Eu não sou uma bagagem – sou um passageiro!”. O movimento virtual encontrou apoio entre os famosos blogueiros de animais na Rússia, assim como adoradores de cães e gatos no exterior.

A primeira hashtag, #янечемодан (#eunãosousuabagagem), foi criada após outra história em que a proprietária, Anastassia, havia perdido seu cachorro em um voo de Perm para Berlim com conexão em Moscou. Os representantes do aeroporto responderam com a seguinte desculpa: “Seu cachorro é uma bagagem para nós, e parece que a deixamos em Moscou”. Para sua sorte, o cachorro foi encontrado e reunido a Anastassia 12 horas depois – tão exausto e chocado quanto a dona.

Outra hashtag – #янебагаж (#eunãosousuabagagem) – foi criada após uma história recente envolvendo a Aeroflot e um gato gordo, com alguns quilinhos a mais do que as diretrizes legais para o transporte a bordo – #бронебагаж (#amigonãoébagagem).

O dono dos gatos mortos está planejando lutar por mudanças nas regras de transporte de animais. Em sua página no Facebook, Maksim iniciou um movimento pedindo apoio de simpatizantes por animais em todo o mundo. Além disso, seu caso chamou mais atenção para a petição inicial iniciada por Anastassia após o seu acidente.

“Somos obrigados a lembrar ao mundo a necessidade de uma atitude carinhosa em relação à viagem com animais”, destacou Maksim.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies