Como fingir que você também é um “gópnik” russo

Sputnik, Russia Beyond
Se você mora na Rússia, talvez não acreditem que você é um malandro genuíno, mas o carnaval 2020 já não está tão distante assim!

1. Use roupas da Adidas (e sapato social)

Nos tempos soviéticos, o uso de roupa Adidas era símbolo de inconformismo, já que as elites soviéticas não aprovavam a marca. Um ditado popular rimado dizia: “Quem usa a Adidas hoje, vende a Pátria amanhã!”.

Depois da queda da União Soviética, os uniformes de treino da Adidas tornaram-se uma característica distintiva do submundo do crime. Todo mundo amava a Adidas: valentões, batedores de carteira, vândalos em geral, ex-soldados, atletas empobrecidos etc.

Até prisioneiros, muitos deles, membros renomados da máfia russa, usavam esses uniformes de treino, já que muitas cadeias não tinham uniforme próprio. Durante os “selvagens anos 1990”, até alguns ex-atletas se voltaram para o crime para sobreviver e também usavam as roupas de treino.

Assim, se você quiser se juntar à máfia russa, é obrigatório vestir um abrigo da Adidas. Para tornar tudo ainda mais verossímil, combine o agasalho com sapatos de couro polido baratos. Os profissionais conseguem manter o look até no duro inverno russo.

2. Arrase na ‘franjinha gângster’

A baixa máfia russa criou seu próprio penteado – que chegou até a um desfile de moda em Paris! Ele é fácil de fazer e de usar, basta seguir um princípio básico: a franja deve cobrir a testa e ser escovada para baixo, enquanto o resto da cabeça é raspado. Voilà, você faz parte da máfia!

Existem duas teorias concorrentes principais sobre a origem da infame “franjinha gângster”: a do exército e cultural. Mas, independentemente da que você aceitar, o resultado é a mesma lindeza (#sqn)!

3. Mastigue semente de girassol (em todo e qualquer lugar)

Para ser sincero, todos os russos comem sementes de girassol, não só a máfia. Mas consumir tais sementes em locais públicos é característica distintiva de todo bandido que se preze.

Isto é compreensível: depois de começar, é quase impossível parar de mascar as sementes. Somente uma grande modéstia e vergonha impediriam alguém de levar este lanchinho a locais públicos. Mas nenhum desses sentimentos regeria um verdadeiro membro da máfia, portanto nada pode impedir um gângster de levar um punhado de sementes de girassol para o parque, o museu, o casamento de alguém, o espaço sideral... e fazer uma sujeira danada!

4. Fique de cócoras (nos lugares mais improváveis)

Nas cadeias soviéticas, os presos não tinham lugar para sentar durante o tempo livre e se aboletar no chão era algo inaceitável para criminosos respeitados. Assim, a cultura das cócoras se espalhou.

Ela atingiu as massas quando bandidos da baixa máfia adotaram a técnica para parecer mais durões do que realmente eram. Valentões ou não, ninguém duvidará que você pertence à máfia russa se fizer longos agachamentos. E, quanto mais improvável o local, mais autêntica será sua imagem.

5. Nunca perca o ar superior

A filosofia por trás da cultura gópnik de pequenos crimes, assaltos e roubos de rua exige determinada atitude em relação à vida em geral: o candidato a gópnik deve aceitar sua pobreza perpétua com um grau saudável de otimismo, perceber que a vida nunca vai melhorar e, no entanto, aprender a aproveitar de verdade tudo o que há em cada momento.

É complicado, a gente sabe, mas esse pensamento alimentou gerações inteiras de gópniks na União Soviética e, mais tarde, na Rússia. Se você quer ser um gópnik, lembre-se de manter o romantismo, otimismo e oportunismo, e sempre abrace as dificuldades da vida com um sorriso!

 

LEIA TAMBÉM: Moda e crime através do tempo

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies