Por que os russos são contra a semana de trabalho de quatro dias?

Getty Images
Por mais difícil que seja acreditar, metade dos russos não querem que a sexta seja dia de folga.

O governo russo está pronto para discutir a proposta de uma semana de trabalho mais curta se o progresso tecnológico possibilitar tornar isto realidade, segundo afirmou o primeiro-ministro russo, Dmítri Medvédev, em reunião da Conferência Internacional do Trabalho em Genebra. “É muito provável que no futuro dia de trabalho semanal seja a base do contrato social e trabalhista”, disse.

Medvedev citou Henry Ford, falou sobre como, há cem anos, ele diminuiu a semana de trabalho de 48 para 40 horas e isto foi bom para todos. Ele também mencionou uma empresa neozelandesa, a Perpetual Guardian, que no ano passado instituiu a semana de quatro dias para aumentar a produtividade.

“Precisamos de novas abordagens, horários de trabalho flexíveis, trabalhar a distância, com a presença dos funcionários somente quando necessário”, continuou o primeiro-ministro, parecendo agradar os russo. A notícia é ótima, não é? Na verdade, não.

Quase metade dos russos, 48%, não apoiam esta ideia e outros 17% dos entrevistados não têm opinião sobre o assunto, de acordo com pesquisa de opinião pública recente VTsIOM (Centro Pan-Russo de Pesquisas de Opinião Pública).

Os russos são contra essa maravilha? Por quê?

A notícia assustou a maioria das pessoas, ao invés de animá-las. Os russos acreditam que, se o número de dias úteis for reduzido, naturalmente seus salários também cairão. Poucas pessoas acreditam que os salários permanecerão os mesmos enquanto o número de horas trabalhadas diminuirá. Dos entrevistados, 14% acreditam, ainda, que, se as pessoas trabalharem menos, a sociedade será tomada pelo alcoolismo e pelas drogas.

Tampouco os especialistas são otimistas. “Se uma pessoa trabalhar menos horas, é lógico esperar que seu salário também diminua. É possível também que em algumas áreas a produtividade até diminuia", disse Dmítri Lesniak, chefe de gerenciamento de pessoas do escritório de direito BMS, ao portal Gazeta.Ru.

LEIA TAMBÉM: 10 dicas para ajudá-lo a mandar bem na entrevista com um empregador russo

Também existe a possibilidade de que os russos não possam bancar um dia extra de folga, segundo a união empresarial Opora Rossii.

Mas, de acordo com o premiê Medvédev, a transição levará mesmo tempo e há questões a discutir. Entre elas, a dos salários.

Quanto os russos trabalham?

Muito! A Rússia, de acordo com a Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico, está entre os cinco países mais trabalhadores do mundo, com 1.980 horas trabalhadas por ano. O índice supera a França (1.526), ​​a Alemanha (1.356), os EUA (1.780) e o Japão (1.710). A semana de trabalho da Rússia tem 40 horas.

O paradoxo é que os russos são o povo que mais tem dias de folga por ano. Só as celebrações de Ano Novo duram nove dias. E depois há outro Ano Novo, conhecido como "Ano Novo velho” (por causa do calendário antigo), feriados baseados em gênero para homens ou mulheres, os longos feriados de maio (do Dia do Trabalho e também da vitória na Segunda Guerra Mundial) e feriados cujo significado os próprios russos ignoram - mas não deixam de celebrar.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies