Como vive o novo astro do tênis Daniil Medvedev fora das quadras

Reuters
Em agosto de 2019, ele entrou para o top 5 da Associação de Tenistas Profissionais (ATP) depois de ganhar seu primeiro título do Masters 1000 em Cincinnati. Medvedev parece estar no caminho para se tornar número 1 do mundo. Aqui estão algumas coisas que você talvez não saiba sobre ele – como pessoa.

“Eu acho que sou uma pessoa peculiar. Posso parecer pé no chão e simples fora das quadras. Mas, ao mesmo tempo, meu mundo interior pode ser complexo e cheio de turbulência”, disse o jovem campeão de 23 anos ao Eurosport.ru.

Daniil Medvedev nasceu em Moscou em 11 de fevereiro de 1996. Seus pais não tinham qualquer ligação com esportes, e o próprio Daniil acredita que seu caminho se materializou por acidente. Os pais queriam que ele nadasse, mas “no momento em que chegamos à piscina, vimos um anúncio de aulas em grupo de tênis”. Foi a conselho do pai que Daniil que se matriculou. Ele tinha apenas 9 anos na época.

O futuro campeão estudou em uma escola especial com ênfase em física e matemática, incorporando o tênis em sua rotina. Pegou um atalho acadêmico que ofereceu a ele a chance de terminar suas duas últimas séries em um ano, e se matriculou na faculdade de economia aplicada e comércio do MGIMO em Moscou.

Apesar de suas habilidades, era difícil combinar esportes com a faculdade – mesmo que estivesse matriculado no grupo noturno do MGIMO. Daniil teve que fazer uma escolha. “O esportes venceu, enfim”, confessa.

Quando Daniil tinha apenas 14 anos, levava videogames a sério e até participou de campeonatos nacionais de ciberesporte. “Eu era muito bom”, diz.

Medvedev não abandonou por completo esse outro hobby.

Quando entrevistado pela Federação de Tênis da Rússia, o jogador disse que seu fim de semana perfeito seria “jogando Playstation o dia todo”. E quando perguntado sobre seus dons sem ser tênis, também foi categórico: “Sou bonzão em Playstation”.

Medvedev não cultiva, porém, tantas superstições como outros atletas russos.

“Não há nenhuma que eu não pudesse viver sem. Tenho meus próprios pequenos rituais, mas se de repente eu não consegui fazer um deles, minha reação não seria ‘É isso! Vou perder o jogo’. Pelo contrário, eu provavelmente riria de mim mesmo.”

Apesar da pouca idade, Daniil casou-se em 12 de setembro do ano passado.

Daria e Daniil já namoravam quatro anos antes de se casarem oficialmente. “Eu sempre digo quando que a pedi em casamento foi o momento em que minha vida deu uma virada para melhor. Aconteceu logo depois de Wimbledon. Estava me sentindo como se tivesse 65 anos o tempo todo, mas no fim do ano era como se eu tivesse 15.”

Daniil se recusa a revelar o sobrenome de Daria. Sabe-se, porém, que Daria também costumava jogar tênis, competindo em nível júnior. Segundo Daniil, é por isso que ela entende “o caos de um estilo de vida relacionado a esportes”. Também já revelou que Daria estudou jornalismo e tem um excelente domínio do idioma francês.

A julgar pela conta do Instagram de Daniil, Daria o acompanha em vários de seus eventos esportivos. E suas férias favoritas parecem ser nas Maldivas e em Mykonos.

O casal vive atualmente em Mônaco, o que facilita para Daniil treinar em Cannes e Nice, oferecendo ótimas condições climáticas durante todo o ano e tornando possível treinar em quadras abertas. Mas o tenista diz sentir falta da Rússia – já confessou que “não se sente em casa” em Mônaco e que seus amigos são em grande parte russos. “Quando volto para a Rússia, me sinto muito confortável.”

Além do russo, Daniil fala inglês e francês, o qual aprendeu na escola. Ele usa todas as três línguas em suas postagens no Twitter e no Instagram.

Apesar dos US$ 3 milhões conquistados em vitórias, o tenista não deixa isso subir à cabeça e tem uma atitude bastante realista em relação ao dinheiro. Seu maior disparate até agora foi comprar um carro. Quanto aos mais louco, foi fazer compras no outlet da Philipp Plein, onde gastou cerca de US$ 10.000.

LEIA TAMBÉM: 7 esportes de Vladimir Putin

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies