Não sabe onde descartar o lixo reciclável? Em São Petersburgo, basta ligar para o EcoTaxi

Pixabay, personal archive
Embora cada vez mais russos estejam tomando consciência de questões ambientais, nem todos têm tempo – ou informações disponíveis – para organizar sua reciclagem de forma adequada. Para ajudá-los, russo lançou um serviço chamado EcoTaxi.

O homem ao volante do Volkswagen Transporter que leva os materiais recicláveis ​​dos moradores de São Petersburgo para o lugar correto é Vsevolod Vasilkioti. Até pouco tempo atrás, Vsevolod era apenas um cara comum que trabalhava em um escritório e não dava muita atenção a questões como gerenciamento de lixo e reciclagem. Tudo isso mudou há cerca de dois anos, depois de uma promessa à mãe de não jogar tudo em uma só lixeira e separar os itens recicláveis.

“Não passou muito tempo até eu, inconscientemente, começar a diferenciar os vários tipos de plástico e aprender as nuances entre o que pode ou não ser reciclado, para onde levar e em que quantidades. Muito rapidamente, isso se tornou um hábito, e eu já não conseguia mais jogar fora que pudesse ser reciclado”, conta o russo.

Negócio ecológico, porém arriscado

Vsevolod e sua família se mudaram para o bairro de Ozerki, no norte de São Petersburgo, há pouco tempo. Do lado oposto ao seu prédio havia um depósito não autorizado, então, junto com seus vizinhos, Vsevolod começou a organizar “subbotniks” (derivado da palavra sábado): um evento em que moradores da vizinhança se reúnem para limpar a área ao redor de suas casas.

“Vasculhando todo o lixo e separando os recicláveis ​​dos não recicláveis, entendi que as principais estatísticas sobre poluição ambiental estão bem à nossa frente – nas ruas. E foi assim que minha atitude em relação à reciclagem mudou da ambivalência ao ponto de eu mesmo lançar um negócio ecológico”, conta o peterburguense.

A ideia de um ecotáxi surgiu pela primeira vez depois de Vsevolod vir uma moça de outra parte de São Petersburgo postando uma captura de tela de sua rota até o ponto de reciclagem mais próximo e oferecendo às pessoas para recolher seus itens recicláveis ao longo do caminho por uma taxa simbólica de 100 rublos (R$ 6,34).

“E foi aí que pensei: ‘ei, por que não fazer algo assim aqui nos bairros do norte?’ Depois de alguns testes, e chegando a um esquema de pagamento que parecia funcionar, larguei meu emprego, apesar do medo. No meu emprego em um escritório, recebia um salário estável de 50.000 rublos (R$ 3.169) por mês. Mas esse novo negócio era um grande passo no escuro, porque eu tenho esposa e filhos. Minha mulher, Anastassia, no entanto, deu total apoio à minha decisão e, em julho de 2018, lançamos nosso grupo na mídia social Vkontakte.”

LEIA TAMBÉM: Russos também estão entre adeptos do ‘freeganismo’

Anastassia ajudou a escrever o conteúdo para a página. Logo, a quantidade de seguidores começou a crescer vertiginosamente, e o apoio começou a aparecer na forma de republicações e assinaturas.

“Em agosto de 2018, um grande canal de notícias ficou sabendo do projeto e veio filmar uma reportagem sobre o primeiro EcoTaxi de São Petersburgo”, diz.

Reciclagem não é magia

Vsevolod trabalha três dias por semana e consegue chegar a, pelo menos, 12 pessoas diferentes com seu fiel Volkswagen Transporter e isso leva, em média, de 10 a 12 horas. Ele então transporta os itens recicláveis para um dos três pontos de reciclagem confiáveis no norte de São Petersburgo. Vsevolod cobra 400 rublos (R$ 25) por três sacolas de compras de tamanho médio e, acima disso, cada sacola extra sai por 50 rublos (R$ 3,17). Os lucros não são altos, mas Vsevolod e Anastassia se prepararam para o longo caminho pela frente.

“Talvez, no futuro, eu comece a trabalhar todos os dias se houver demanda para tal. No momento, porém, estamos mais focados no desenvolvimento e crescimento do EcoTaxi, investindo em publicidade e atividades educacionais, além de buscar pontos de reciclagem para tipos raros de materiais recicláveis ​​e parcerias com outras iniciativas ecológicas. Começamos a trabalhar com a loja de caridade Spasibo, que trabalha com a coleta de roupas”, continua o russo.

Embora Vsevolod veja seu trabalho como uma parte importante do combate à poluição em sua cidade natal, ele tenta explicar aos seus concidadãos que não se pode contar apenas com a EcoTaxi para resolver todas os problemas ambientais.

“O que todos devem entender é que a reciclagem não é uma varinha mágica para resolver nossos problemas ambientais. Precisamos aprender a reutilizar as coisas que compramos e consumir conscientemente. Por exemplo, não compre 10 blusas e mantenha 8 delas no armário sem usá-las. Todo mundo tem que fazer a sua parte. É um processo longo e lento, mas, ainda assim, é melhor do que não fazer nada e esperar que o governo ou outra pessoa o faça por você. Então, se quiser realmente mudar a situação ecológica, comece mudando sua percepção: pare de pensar no lixo como lixo. Eu, por exemplo, exclui a palavra ‘lixo’ do meu vocabulário.”

Segundo Vsevolod, não se deve mergulhar direto na ponta da reciclagem, tentando saber, por exemplo, tudo sobre os diferentes tipos de plástico logo de início.

“Comece com pequenas coisas: separe coisas óbvias, como garrafas de vidro, papel e plástico. Em seguida, encontre o ponto de reciclagem mais próximo no recyclemap.ru e, claro, compre sacolas de compras reutilizáveis ​​para suas idas ao supermercado. Se você é viciado em café, pegue uma xícara de café reutilizável ou uma garrafa térmica e vá a uma das cafeterias do mycupplease.ru, onde os baristas terão prazer em colocar o café em sua xícara. E cuidado com as táticas de ‘lavagem verde’ das marcas”, diz.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies