As 5 moedas mais valiosas da Rússia tsarista

Legion Media
As casas de leilão vão à loucura batendo o martelo final destes objetos raros por milhões de dólares.

O valor de uma moeda depende diretamente de sua circulação. Quanto menor ela for, mais cara é a moeda. As mais raras são as moedas experimentais - que, por algum motivo, não foram colocadas em circulação.

  1. Rublo de Constantino, 1825: de 5 a 10 milhões de dólares

O rublo de Constantino é a única moeda russa com a imagem de um imperador que não chegou ao trono. Após a morte de Aleksandr 1°, seu irmão Constantino deveria subir ao trono, mas abdicou em favor de Nikolai 1°.

Hoje, existem apenas oito moedas de teste cunhadas para a esperada coroação de Constantino. Para evitar um escândalo, todas as moedas foram escondidas imediatamente após a coroação de Nikolai 1°.

"É a moeda russa mais lendária", diz o diretor da casa de leilões Moedas e Medalhas, Igor Lavruk. A última vez que o rublo de Constantino foi vendido, em 2004, foi arrematado por 525 mil dólares. Especialistas acreditam que, hoje, seu valor estaria entre os 5 e os 10 milhões de dólares.

  1. Rublo de Ivan Antonovitch, 1740: 3,8 milhões de dólares

Em 2012, esta moeda foi vendida em leilão por 3,8 milhões de dólares. Hoje, seu valor é, certamente, muito maior.

Ivan 6° foi proclamado imperador quando tinha menos de um ano de idade. Quase imediatamente, o infante imperador foi derrotado por Elizabeth, a filha mais nova de Pedro, o Grande, e passou a vida toda em cativeiro, morrendo com apenas 23 anos de idade.

Embora fosse costume as moedas retratarem o perfil do imperador, a tenra idade de Ivan 6° não o permitia. Assim, uma moeda foi cunhada com seu monograma, mas foi retirada de circulação após o golpe. “Esta moeda é extremamente rara”, diz Lavruk.

  1. Moeda de ouro de Elizabeth, 1755: 3 milhões de dólares

O último leilão de uma moeda de ouro Elizabeth, em 2008, arrecadou 2,5 milhões de dólares para a St. James's Auctions, em Londres. Cunhada em ouro puro, com um valor nominal de 20 rublos, a moeda nunca entrou em circulação e difere em tamanho da amostra mais comum de 10 rublos.

“Muito provavelmente ela foi rejeitada simplesmente porque custava muito para produzir. Em 1755, quando as pessoas tinham moedas de cobre nos bolsos, uma moeda de ouro de 20 rublos podia comprar várias aldeias”, diz Lavruk.

Ele estima o valor atual da moeda em 3 milhões de dólares.

  1. Rublo Reichel, 1845: 2 milhões de dólares

Durante o reinado de Nikolai 1°, na primeira metade do século 19, estava na moda cunhar moedas comemorativas marcando eventos como nascimentos de crianças da família real, casamentos de herdeiros etc. Algumas das moedas produzidas em quantidades muito pequenas não conseguiram obter o selo de aprovação do imperador por razões diversas.

Este foi o caso do rublo Reichel, de 1845. A moeda retrata o perfil de Nikolai 1° com um pescoço alongado e esquisito. Não se sabe se essa foi a razão pela qual o imperador a rejeitou, mas o fato é que ela não foi aprovada. Isso só serviu para aumentar seu valor. Hoje, ela é avaliada em 2 milhões de dólares, de acordo com Lavruk.

  1. Anna com corrente, 1730: 1 milhão de dólares

Esta moeda de prata nunca foi cunhada em massa devido a seu design complexo. O brasão de armas no verso é envolvido pela corrente da Ordem de Santo André, o Apóstolo e o Primeiro Chamado, razão pela qual ela é conhecida como "Anna com corrente"  - já que o perfil da Imperatriz Anna está do outro lado.

Fazer um molde para detalhes tão intricados era considerado complexo demais, e o desenho foi abandonado em favor de outro, sem a corrente: daí a raridade da versão “com corrente”.

O último leilão de uma moedas dessas, em 2010, alcançou um preço de venda de 460 mil dólares. “Um exemplar em bom estado valeria cerca de 1 milhão de dólares hoje”, afirma Lavruk.

LEIA TAMBÉM: Onde os comunistas esconderam seu tesouro após a queda da URSS?  

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies