Como Nicolau 2º torrou a riqueza do Império com festas

Poliákov, Imperador Nicolau 2º na abertura da Primeira Duma de Estado do Império Russo, em 27 de abril de 1906, em São Petersburgo

Poliákov, Imperador Nicolau 2º na abertura da Primeira Duma de Estado do Império Russo, em 27 de abril de 1906, em São Petersburgo

Getty Images
Esta sexta (18) marca os 150 anos do nascimento de Nicolau 2º, o último imperador da Rússia. Durante seu reinado, a corte gabava-se de cerimônias luxuosas e, às vezes, festejavam como se o mundo fosse acabar – o que, por ironia do destino, acabou acontecendo para eles mesmos. Relembre algumas excentricidades do tsar.

Festeje como um tsar

Tsar Nicolau 2º deixa a Catedral Uspenski após sua coroação

Nicolau 2º e sua família tornavam seus eventos inesquecíveis. A coroação do tsar e sua mulher foi a mais cara de todas do Império, e os números falam por si. Havia mais de 85 mil militares envolvidos, inclusive com quartéis separados. 

No Kremlin, um canal telefônico especial foi criado para coordenar as cerimônias. Mais de 24 toneladas de talheres de prata e ouro chegaram de São Petersburgo. Na noite anterior à coroação, um coral de 1.200 membros fez uma serenata para a imperatriz. Esta foi também a única vez que uma coroação na Rússia foi filmada.

Nicolau 2º e Aleksandra Fiodorovna (Alix de Hesse) em trajes russos. 1913, Celebração do 300º aniversário da dinastia Romanov

Em 1913, aconteceu uma cerimônia ainda mais luxuosa – o 300º aniversário da dinastia Romanov, que foi organizado como um grande evento estatal e ideológico. O custo da festança foi, obviamente, proporcional à grandiosidade da festa.

Por ordem do tsar, todas as dívidas civis (impostos e taxas) foram perdoadas, e mais de 1,5 milhão de medalhas comemorativas de ouro, prata e bronze, produzidas. Pela primeira vez na história da Rússia, retratos do tsar e de sua família foram fabricados em massa em selos postais, canecas de suvenir, lenços e outros itens.

Ceie como um tsar

Interior do palácio da dinastia Romanov construído em 1894 por ordem do tsar Aleksandr 3º, 1897

Na cozinha do tsar trabalhavam 55 pessoas, e havia três “níveis” de cardápio: “simples”, “festas” e “desfile”. Mas até o “simples” significava um “café da manhã com 4 pratos; um almoço com 5; e um jantar também com 4. ”

Nicolau 2º e sua esposa Aleksandra Fiodorovna à mesa

Para preparar e colocar a mesa real, gastava-se valores exorbitantes, embora seja possível perceber um corte nos gastos ao longo dos anos. Em 1901, o custo foi de 71.631 rublos; em 1903, 67.112 rublos; e, em 1904, 47.711 rublos (a título de comparação, o salário anual de um coronel do Exército era cerca de 4.000 rublos; um cavalo custava aproximadamente 100 rublos; e um bom piano, 200 rublos).

Ainda assim, a realeza costumava comer em pratos de ouro e importava comida requintada da Europa. Até as sobras da mesa do tsar eram servidas mais tarde como iguarias nos restaurantes de São Petersburgo.

Beba como um tsar

Nicolau 2º (à esq.) com amigos, incluindo o príncipe grego Nicolau (à dir.)

Nicolau não era abstêmio, e suas bebidas favoritas eram vinho do porto e conhaque de ameixa.

“Depois de visitar as cantinas dos soldados, consideravelmente abastecidas com vodca, finalmente cheguei à assembleia dos oficiais”, escreveu em seu diário, em agosto de 1904. Em outro momento, em meio a exercícios militares no campo, Nicolau descreveu: “Nicolacha nos fez um grande jantar em sua barraca. Eu provei 6 tipos de vinho do porto e fiquei um pouco zonzo, o que me ajudou a dormir bem.”

Mesmo durante os tempos mais difíceis, em 1916, o tsar não deixou o hábito de beber. Como observou o historiador Igor Zimin, em maio e junho daquele ano, o tsar e sua família consumiram 1.107 garrafas de vinho em geral, 391 garrafas de vinho Madeira, 174 garrafas de xerez, 19 garrafas de vinho do porto (quase que exclusivamente para o imperador) e 14 garrafas de champanhe (em ocasiões festivas), além de três garrafas de conhaque e 158 garrafas de vodca.

Gaste como um tsar

Nicolau 2º e Aleksandra Fiodorovna em visita à rainha Vitória (avó de Aleksandra). Da esquerda para a direita: Aleksandra Fiodorovna; a grã-duquesa Olga; Nicolau 2º;  ; rainha Vitória, da Inglaterra; e Albert Edward, príncipe de Gales

Desde o dia em que nasceu, Nicolau recebeu um salário anual de 100 mil rublos, pagos com fundos do Estado. Depois de se tornar imperador, essa quantia dobrou. Seus 200 mil rublos entravam diretamente em sua conta bancária e, para gastos diários, recebia ainda 20 mil rublos ao ano. No entanto, o tsar sempre excedeu esse valor; às vezes, gastando até 150 mil rublos anuais (um general ou ministro ganhava anualmente entre 6.000 e 7.000 rublos, e um operário de fábrica, até 500 rublos).

Sua principal despesa era com caridade (construção de igrejas, por exemplo) e roupas elegantes para visitar os tribunais europeus, especialmente no início do reinado. Sua esposa, a imperatriz Aleksandra, gastava anualmente 40 mil rublos com roupas e também gostava de usar joias caras; em 1914, comprou 25 mil rublos em joias. Grandes quantias também eram gastas com fotografias e filmes do tsar e sua família.

Cace como um tsar

Tsar Nicolau 2º durante expedição de caça na floresta de Bialowieza, 1897

A caça era há muito tempo o passatempo favorito dos governantes russos desde Ivan, o Terrível, e Nicolau 2º não era diferente. Um departamento especial do Ministério da Corte Imperial supervisionava todas as estações de caça, e havia mais de 70 homens na equipe, incluindo um pintor, que criava aquarelas incríveis das caçadas (foto).

Aquarela apresenta os resultados de uma caça da realeza, 1915

De acordo com as estatísticas, entre 1884 e 1909, Nicolau e seus irmãos e amigos mataram mais de 680.000 animais e pássaros. Apenas no ano de 1915 (foto acima), foram mortos 6.986 animais (entre eles, 210 faisões, 693 falcões, 448 gaios-comuns, 415 pega-rabudas, 3.430 gralhas-cinzentas, 58 raposas, 593 lebres, 536 cachorros e 753 gatos).

As caçadas duravam semanas e eram caras – o orçamento anual passava de mais de 30 mil rublos, o equivalente a um ano de salário para 100 professores.

Você sabia que Nicolau 2º tinha, na verdade, sangue menos que 1% russo? Entenda melhor essa história.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies