Rússia é superpotência global?

Natalya Nosova
Políticos e analistas frequentemente utilizam o termo “superpotência” em relação à Rússia. Mas outros discordam - entre eles, o presidente do país, Vladimir Putin.

Em 2016, o presidente russo Vladimir Putin declarou que os Estados Unidos são a única superpotência do mundo. "Os Estados Unidos são uma grande potência, a única superpotência do mundo, acho. Estamos prontos a trabalhar com os Estados Unidos", disse.

Diversos analistas políticos e líderes de Estado não estão, porém, de acordo com Pútin e se referem à Rússia como uma superpotência. Em julho de 2018, por exemplo, o chanceler austríaco Sebastian Kurz disse que a cúpula entre Putin e Trump é sinal de uma "boa cooperação entre as duas superpotências”.

O que é uma "superpotência"?

Conselho de Segurança da ONU.

As definições do termo diferem, mas a maioria dos analistas políticos afirma que, para ser uma superpotência, o país deve ter enorme influência não apenas sobre seus vizinhos, mas sobre todo o mundo.

"Segundo [o cientista político polonês e ex-conselheiro de segurança nacional dos Estados Unidos] Zbigniew Brzezinski, existem quatro sinais de que um país é uma superpotência: influência militar, econômica, científica-técnica e cultural", disse o analista político da Escola Superior de Economia de Moscou, Oleg Matveitchev.

Oportunidades limitadas

Richard Nixon e Leonid Brejnev.

A Rússia atende, definitivamente, a alguns desses critérios. O país tem, por exemplo, enorme capacidade militar: o orçamento da Defesa é de US$ 47 bilhões e ele tem arsenal nuclear e numerosas Forças Armadas.

O peso político da Rússia na arena internacional também é impressionante: como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, o país tem direito de vetar todas as resoluções. Além disso, o país desempenha papel importante nos assuntos europeus e no Oriente Médio.

O potencial econômico russo, porém, não é tão grande quanto o dos Estados Unidos. A Rússia ocupa o 11º lugar no ranking dos países com o maior PIB (produto interno bruto), o que é insuficiente para que ele seja considerado uma superpotência.

No geral, o papel global da Rússia é limitado. “Há apenas um parâmetro em que Rússia é uma potência global: os recursos de Defesa. Em outras área, não somos tão poderosos e há muitas questões sobre qual será o papel da Rússia no século 21”, diz o presidente do Instituto de Economia Mundial e Relações Internacionais, Aleksandr Dinkin, ao jornal Kommersant.

Washington sozinho no topo

Na segunda metade do século 20, a URSS desafiou os EUA em todo o mundo. Rivalizavam em todos os campos: militar, político, econômico e cultural.

“Após duas devastadoras guerras mundiais, a comunidade global se encontrava em uma situação muito anormal, em termos de história. Dois Estados dominavam o mundo, e eram incomparáveis a quaisquer outros países. Essa ordem mundial bipolar definiu o período da Guerra Fria”, explica Fiódor Lukiânov, editor-chefe da revista Russia in Global Affairs.

"Naquele momento apareceu o termo 'superpotência', que foi usado para distinguir esses poderes gigantescos das chamadas 'grandes potências' do século 19", acrescenta Lukiânov.

O último termo se refere a Reino Unido, França, Alemanha, Rússia etc. Após a Guerra Fria, uma das superpotências - a URSS - deixou de existir e, embora a Rússia tenha herdado alguns de seus ativos, “sua influência permaneceu grande, mas não era mais única”, completa Lukiânov.

LEIA TAMBÉM: Quem são os principais aliados da Rússia?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies