6 vinícolas que provam que a Rússia não é apenas vodca

Getty Images
De Abrau-Dyurso a Novy Svet, na Crimeia, experimento os melhores vinhos da Rússia durante uma viagem às terras quentes no sul do país.

A região de Krasnodar e a Crimeia oferecem, além de paisagens cênicas e férias na praia, alguns dos melhores bebidas produzidas em vinícolas históricas do país – da famosa Abrau-Diurso a Zolotaia Balka e Novi Svet.

1. Abrau-Dyurso

Provavelmente, um dos lugares mais populares para os interessados ​​em experimentar os melhores vinhos da Rússia é Abrau-Dyurso Wine House, perto da cidade de Novorossisk. Fundada em 1870 por decreto do tsar Aleksandr 2º no pitoresco lago Abrau, a vinícola tem rica história de produção de vinhos conforme a clássica tecnologia francesa e hoje é conhecida como a maior produtora de espumantes russa.

Visitada por mais de 150 mil pessoas por ano, Abrau-Dyurso tem muitas coisas a oferecer – não apenas uma vista panorâmica do lago e das vinhas próximas, mas também restaurantes, cafés, uma escola de gastronomia e visitas guiadas aos túneis de 6,5 quilômetros de extensão com degustação de vinhos incluídos. Já no Champagne Spa, uvas e champanhe são usados ​​para acalmar e tonificar o corpo.

O consultor de vendas moscovita Dmítri fez uma excursão há dois anos. “É um maravilhoso destino de um dia. Há oportunidade de desfrutar da bela paisagem e aprender tudo o que há para saber sobre a produção de vinho na Abrau-Dyurso.”

A empresária francesa Cecile, de Rouen, concorda. “Eu fui lá há alguns anos com minha família. O hotel não era tão caro, e o passeio era barato”, diz. “Também fiquei muito impressionada com a qualidade do vinho e com todos os investimentos feitos para melhorar o nível do resort e da fábrica. Ótimo lugar, ótima degustação.”

2. Myskhako

Myskhako é outra vinícola que vale a pena visitar perto de Novorossisk. Sua história remonta a cerca de 150 anos, com produção contínua, mesmo durante os confrontos nos arredores durante a Segunda Guerra Mundial. Era um local de entretenimento favorito entre a elite soviética, produzindo uma série limitada de vinhos da mais alta qualidade. Hoje pode-se “viajar de volta ao tempo” degustando vinhos e espumantes, além de visitar os históricos túneis subterrâneos que rememoram a guerra.

“Eu já estive aqui muitas vezes”, diz Dmítri, de Kirov. “Tanto em visitas guiadas, que são sempre fascinantes, e simplesmente para comprar vinho… O vinho aqui é incrível e barato. Aqueles que o conhecem deixam o lugar cheios de caixas.”

3. Fanagoria

Outra grande vinícola na região de Krasnodar é a Fanagoria, que produz mais de 20 milhões de litros de vinho por ano. Foi nomeada em homenagem à antiga cidade grega que floresceu ali entre o século 6 a.C. e a invasão pela Rus na Idade Média.

Vinhos brancos e tintos, espumantes, conhaque, vodca de uva (tchatchi) e bálsamo – o local oferece uma variedade de bebidas alcoólicas e está entre os cinco principais produtores russos de vinho engarrafado. Recentemente, o vinho Muscat Ottonel Brut ganhou uma medalha de prata em uma competição internacional na França.

Nessa vinícola os visitantes têm a chance de visitar a taverna, as vinhas e uma das maiores adegas subterrâneas da Rússia (3.000 m²) com salão de degustação e o museu do vinho. “Excelentes vinhos russos”, diz Pável, um visitante regular de São Petersburgo. “Não há uso de produtos químicos, estive presente em uma visita guiada e uma degustação, então, posso garantir a alta qualidade por conta própria.”

4. Massandra

Destaque da Crimeia (e da Rússia como um todo) quando se trata de variedade, a vinícola Massandra contém uma das maiores coleções de vinhos finos e raros do mundo. Entre eles, um Sherry de la Frontera produzido em 1775, um dos vinhos mais antigos do mundo. Uma garrafa deste vinho aguardentado foi vendida em um leilão na Sotherby, de Londres, por US$ 43.500 em 2001.

Também a mais antiga da Crimeia, foi construída entre 1894 e 1897. Hoje em dia, os visitantes podem participar de degustações e visitas guiadas às adegas, além de vislumbrar o pôr do sol sobre as montanhas enquanto desfrutam de uma degustação acompanhada por um concerto de música clássica no espaçoso pátio.

A jornalista Maria, de Moscou, visitou recentemente uma dessas noites de música ao ar livre. “Já estive em diversas vinícolas na Europa, América do Sul, Austrália e Nova Zelândia, mas só aqui a cultura, a comida e o vinho se unem perfeita e lindamente. Além da grande variedade de vinhos, acho que os fãs de arquitetura também vão se divertir muito porque o edifício em si é grandioso e impressionante”.

5. Zolotaya Balka

Localizado a cerca de 20 a 30 minutos de carro de Sevastopol, Zolotaia Balka é o destino certo para apreciadores de espumantes desde 1889. Ao contrário da maioria das antigas vinícolas da Crimeia e da região de Krasnodar, fundadas pelo conde Golítsin, esta vinícola foi criada em 1889 por Aleksandr Vitmer.

Após a queda da União Soviética, a Zolataya Balka começou a perder seu antigo prestígio e glória no mundo dos espumantes até bem recentemente, quando investidores de Moscou decidiram reformar sua estrutura. Embora permanecendo fiel às tradições de vinificação do passado, os novos proprietários também investiram pesado em tecnologia italiana de última geração e reformularam o edifício. Um moderno prédio de vidro com restaurante na cobertura, onde há sempre DJs, enfeita agora o espaço, atraindo uma multidão mais jovem e descolada do que antes.

Além das tradicionais degustações de vinho, os visitantes mais aventureiros podem optar por um passeio de quadriciclo pelo imenso território, e os adeptos da arte têm a possibilidade de visitar o parque de arte moderna. Fora essas atrações, a Zolotaya Balka recebe anualmente o ZB Fest, em agosto, com várias atrações musicais.

Segundo o empresário Andras, da Hungria, o que diferencia esta vinícola das demais são as várias atividades que se pode fazer no local. “Além de saborear vinhos fantásticos, você pode fazer um passeio de bicicleta pelas videiras ou realmente sair da rota mais manjada com quadriciclos para explorar os arredores. Nossa guia, Daria, que falava inglês perfeito, também nos disse que é possível fazer outras atividades se reservar com antecedência. Assistir ao pôr do sol no bar do terraço, com música do DJ tocando ao fundo, é a maneira perfeita de terminar um dia tão enérgico”.

6. Novy Svet

Datada de 1878, a vinícola Novy Svet está localizada na vila homônima, ao longo de uma baía isolada na parte oriental da península da Crimeia. Fundada pelo conde Golítsin em 1878, os espumantes produzidos ali foram servidos na coroação do último tsar, Nicolau 2º, em 1896, e apenas quatro anos depois, em 1900, sua criação ficou conhecida mundialmente quando venceu o grande prêmio na Exposição Mundial em Paris. Hoje, a Novy Svet produz champanhe de verdade, usando as mesmas técnicas francesas, o que deu à ela o direito de usar o termo champagne em vez de espumante.

A vinícola não se modernizou muito desde os tempos soviéticos, mas esse é seu charme. Essa adega é perfeita para os aficionados por história, porque a maioria das excursões oferecidas tem foco em contos. O passeio Tsarski, por exemplo, leva os visitantes de volta ao início do século 20, quando o tsar Nicolau e sua família visitaram o conde Golítsin em Novy Svet. Já no passeio de Golitsinskie Tropi, há a oportunidade de explorar o labirinto de túneis escavados no final do século 19. Como era de se esperar, todos os passeios disponibilizados pela vinícola se encerram com uma deliciosa degustação no espaçoso hall com belos vitrais.

“O que eu achei muito legal na Novy Svet é o enorme orgulho que os trabalhadores têm de seu trabalho. Eles realmente amam o seu vinho! Essa paixão pode ser sentida na qualidade. Andando pela vinícola, você vê poemas escritos por funcionários sobre o ‘melhor espumante do mundo’”, conta o cineasta Andrêi, de Níjni Novgorod.

Você sabia que vinho artesanal é uma das receitas de vida longa no Cáucaso? Veja aqui o que moradores do sul da Rússia falam sobre os segredos locais de longevidade.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais
Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies