Tatuagens patrióticas, uma declaração de amor para todo mundo ver

Do rosto de Putin a bandeira soviética no Reichstag, passando por ursos, cosmonautas e vodca, russos gravam na pele seus sentimentos pelo país e seus ídolos.

O tatuador de Kazan Mikhaíl, de 32 anos, tem uma tatuagem em que se lê “Glória à Rússia”. Apesar disto, ele diz: “Para mim, o patriotismo é uma ideia falsa que tem o intuito de dividir os diferentes povos do mundo. Fiz esta tatuagem porque amo a terra onde nasci”.

Andrêi, de Samara, tem 33 anos. Em sua tatuagem se podem ver os principais jornais soviéticos, soldados da Segunda Guerra Mundial, aviões e a foice e o martelo. “Toda minha família é do Exército. A história de nosso país merece respeito”, diz.

Eduard, de 28 anos, é policial em São Petersburgo. Ele tem diversas tatuagens com aviões, soldados e lemas da Segunda Guerra Mundial. “A história da Rússia se reescreve. Quando meus filhos e netos perguntarem o que significam essas tatuagens, vou lhes contar a história da minha pátria.”

Serguêi, de 23 anos, é caminhoneiro em Moscou. Ele tem tatuada a clássica fotografia que mostra um soldado do Exército Vermelho fincando uma bandeira soviética sobre o Reichstag. “Interesso-me pela temática patriótica desde a infância. Respeito as pessoas que sacrificaram suas vidas por nossa liberdade.”

Andrêi, de 27 anos, é um desenhista de Samara. Sua tatuagem tem um urso. “Foi minha mulher que teve a ideia para esta tatuagem. Acredito que ela mostre o ambiente do país. Ela mostra a Rússia em todo seu esplendor.”

Aleksêi, 30 anos, é funcionário público em Moscou. Em sua tatuagem aparecem Stálin, a torre Spasskaia do Kremlin, aviões, soldados e a letra de uma música patriótica. “Fiz esta tatuagem para o 70° aniversário da vitória russa na Segunda Guerra Mundial. Meu avô esteve na guerra, e a tatuagem é em sua homenagem.”

Ivan, de 18 anos, é estudante em Moscou. Sua tatuagem mostra a estátua “A mãe pátria chama”, situada em Volgogrado, onde ocorreu a batalha de Stalingrado. “Meu avô nasceu em Volgogrado e lutou na guerra. Para mim é uma honra ter uma tatuagem como esta.”

Aleksandr, de 47 anos, é de Moscou. Ele tem tatuado na coxa o rosto do presidente Vladimir Putin, diversas conquistas soviéticas e frases religiosas. “Pútin é um ídolo para mim. Claro que me considero um patriota.”

Anton, de 28 anos, é de Moscou. Tatuou nas costas “Moscou” em russo. “Amo esta cidade e me orgulho de ter nascido aqui. Acho que todo mundo deveria conhecer a história de sua cidade e de seu país.”

Aleksandr, de 30 anos, é de São Petersburgo. Ele tatuou um urso com vodca, o cosmonauta Iúri Gagárin, o ator Iúri Nikulin, automóveis soviéticos e o gato do romance “O mestre e Margarida”. “Considero-me um patriota”, diz.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies