De Lênin sobre rodas a enema, os 15 dos monumentos mais bizarros da Rússia

Confira as histórias fascinantes por trás das estátuas mais inusitadas do país.

1. O Homem Invisível 

O primeiro monumento ao Homem Invisível, o protagonista do romance homônimo de H. G. Wells, foi erguido em Iekaterinburgo em 1999. Os artistas Evguêni Kasimov e Aleksandr Chaburov, membros do grupo Blue Noses, descreveram-no como “um monumento à tragédia da solidão e da incompreensão em um mundo onde as pessoas só se comunicam na internet”. O mais curioso – e engraçado –, porém, é que, durante o inverno, essa estátua acaba realmente ficando invisível sob a neve.

2. Melancia

Esta melancia gigante pode ser vista perto do vilarejo siberiano de Abakan (a 3.380 km de Moscou), onde as temperaturas podem cair a -50ºC no inverno. Por incrível que pareça, esta fruta – bem como cerejas – realmente nascem na depressão de Minusinsk, apelidada de “Itália siberiana”, devido a seu peculiar microclima. E os locais garantem: “São tão deliciosas quanto as famosas melancias de Ástrakhan”.

3. Torcedor de futebol

Este monumento a um torcedor de futebol tem o estádio como seu próprio pedestal. Localizada em Tomsk (a 2.860 km de Moscou), a figura de bronze parece totalmente imersa no jogo, com seu cigarro quase caindo da boca. A escultura é baseada em uma foto de um torcedor nos anos 1950 encontrada no arquivo do clube de futebol local.

4. Aqueduto

Estranho à primeira vista, este monumento, instalado em Mitichtchi, na periferia de Moscou, celebra o 200º aniversário do sistema hídrico da capital russa, que começou como um aqueduto entre Mitichtchi e o centro da cidade.

5. Uma família de ciclistas

Este monumento foi projetado pelo escultor mais esquisitão de Moscou, Andrei Aseriants, autor de mais de 10 estátuas e marcos em estilo steampunk (subgênero da ficção científica) na capital russa; cada um deles possui um design robusto feito de sucata. Este fica em um parque de Moscou, e é muito popular entre os ciclistas locais.

6. Duas caras

Este monumento é um dos mais difíceis de encontrar em Moscou. Projetado por um escultor desconhecido, presumivelmente por ordem pessoal de um patrono rico, o “Duas caras” está situado em um dos bairros mais caros e elegantes da cidade, o Milha Dourada, a leste do centro. Há três desses monumentos – dois no jardim, no cruzamento da Molochny com Butikovsky, e outro no pátio da Alameda Molochny, 5.

7. Lênin sobre rodas

O único monumento móvel do mundo a Vladímir Lênin é mantido entre os trilhos da ferrovia perto da Praça Komsomolskaya, onde estão localizadas as três principais estações de trem de Moscou. Criado por trabalhadores ferroviários em 1925, o monumento deveria ser usado em grandes reuniões comunistas em cidades e aldeias que ainda não tinham um monumento ao líder da Revolução.

8. Requeijão

“Drujba” é uma lendária pasta de queijo soviética famosa por seu preço baixo e enorme popularidade entre os soviéticos. Não é à toa que, em 2005, foi imortalizada com um monumento. O corvo e a raposa que seguram o queijo são inspirados na fábula do escritor russo Ivan Krilov, e que se baseia no conto original de Esopo.

Na história, os animais discutem por causa de um pedaço de queijo, e o monumento justamente mostra ambos se deliciando com a iguaria.

9. Caracóis apaixonados

Localizado no distrito de Kurkino, em Moscou, desde 2006, esse monumento dispensa quaisquer comentários.

10. “Proibido falar com estranhos”

Esta placa apenas parece real, mas, na verdade, é um elemento decorativo bem humorado. Localizada no lago Patriarca, em Moscou, a placa faz alusão a “O Mestre e Margarita”, romance de Mikhail Bulgákov que começa a partir de um encontro casual com um estranho nesse exato local. Perto dali, há um famoso “apartamento não bom”, um museu também dedicado à famosa obra literária russa. Confira também outros nove lugares conectados ao romance em nosso guia on-line.

11. O enema (ou, a chuca)

O absurdo desta estátua pode causar arrepios, mas não para os russos. O único monumento a um enema no mundo está localizado perto de Jeleznovodsk (a 1.350 quilômetros de Moscou), um lugar famoso por seus balneários e sanatórios. Segundo os autores dessa obra, os cupidos simbolizam as enfermeiras do sanatório.

12. O teclado

Outra obra-prima de Iekaterinburgo, este enorme teclado foi inaugurado em 2005. Apesar do fato de não ter status oficial como monumento, o teclado é muito popular entre os locais, sobretudo porque as pessoas podem se sentar em cada uma das 104 teclas. Também há planos de construir um monumento a um mouse e um modem.

13. Nariz do major Kovaliov

Este monumento ao nariz do major Kovaliov relembra o herói do conto absurdo de Nikolai Gógol sobre um funcionário público que acordou certo dia sem seu nariz, apenas para descobrir mais tarde que seu membro havia desenvolvido vida própria. O nariz é feito de mármore rosa da Ucrânia, a terra natal de Gógol.

14. O amante pendurado

Aqui está outra “joia” de Tomsk – também um monumento móvel, porém, desta vez, mais engraçado. Criada pelo escultor local Oleg Kislitski, essa figura de bronze, apenas de cueca, está pendurada do lado de fora da janela de sua amante, depois de, presumivelmente, seu marido ter voltado para casa. Nem todas as casas de Tomsk receberam bem essa decoração peculiar, e o artista decidiu instalá-la em diferentes casas até, enfim, chegar ao museu local. Muitas pessoas acharam irônico que, durante a inauguração em 2001, foi tocada a “Marcha Nupcial”, de Mendelssohn.

15. O ralador

Iekaterinburgo está fervilhando de mentes criativas. Esta estátua de ralador não é um monumento à cozinha, comida ou donos/donas de casa. Pelo contrário, é “um lugar para discussão”, como diz a inscrição; do outro lado, há um cérebro sendo ralado. Bruto demais? Talvez, porém, os russos sacam a piada. Na gíria russa contemporânea, “tiorka” (“ralador”) também significa “uma discussão”, geralmente acalorada.

Conheça também as colossais estátuas de Tsereteli, da América Latina à Europa.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies