Como os russos mudaram minha vida: Lucia, da Itália

Anastasiya Karagodina
Para italiana, quem está planejando viagem para o país “deve abrir a mente”.

Voos com qual companhia europeia? É preciso visto ou não para entrar no país? Vai visitar apenas Moscou ou outras cidades também? Entre as várias perguntas que se pode fazer ao planejar uma viagem para a Rússia, há uma que nenhuma agência fará: você está pronto para mudar sua vida para sempre?

A Rússia realmente é um país misterioso, mas também é verdade que algumas pessoas que você conhecer irão surpreendê-lo e fazê-lo questionar estereótipos… mudando sua vida para sempre. Como mudou a minha. 

Você começará a gostar de inverno

“O inverno está chegando em breve. E você verá, vai ser incrível.” Essas palavras acabaram sendo uma previsão significativa para mim. Mas como esse frio todo poderia me agradar de algum jeito? Com as mãos e os pés congelados, o peso das roupas de inverno sobre o corpo... Mas Ada, minha colega de quarto no obschejitie [alojamento estudantil], estava certa. O inverno na Rússia é cheio de magia.

Ada nunca percebeu que foi a primeira pessoa que mudou minha nova vida na Rússia: ela me mostrou a beleza secreta do inverno e da neve.

Ela foi capaz de destruir minhas ideias preconcebidas, e eu comecei a ficar apaixonada por neve. O inverno é a hora de tirar o pó dos velhos casacos de inverno, para curtir os jogos da estação e as noites íntimas com os amigos em casa.

Seu senso de distância muda completamente

Na Rússia, as distâncias são enormes: quando você considera a distância entre Moscou e Vladivostok (mais de 9.000 km), uma cidade que fica 1.000 km (por exemplo, de Ijevsk a Moscou) não é considerada distante, explicou um amigo chamado Serguêi, ao me contar que era de Tomsk, na Sibéria. Esse conceito de distância era novo para mim e me ajudou muito nas minhas viagens pelo país.

Você aprecia um “não” e aprende a ser mais direto

Normalmente, não nos concentramos o suficiente na importância da palavra ‘não’; recusar sem medo de ofender. Negar um convite sem inventar desculpas esclarece sua posição sem passar pelos filtros de cortesia protocolar e falsa cordialidade.

Certa vez convidei minha amiga Masha para ir a um show. Sua resposta me chocou: “Não, eu vou ficar muito entediada porque não é o tipo de show que eu gosto”. Fiquei surpresa com a capacidade de recusar um convite de forma tão rápida e sincera.

Por que inventar desculpas como “eu vou estar ocupado" ou “vamos ver”, sem entusiasmo, se você pode simplesmente responder com honestidade? O povo russo é muito direto, não deixando espaço para mal-entendidos. 

Você vê cada situação de um ponto de vista diferente

Teve uma noite que passei quase o tempo todo perguntando: “Por quê?” Por que você espera que seu namorado abra a porta para você e segure sua bolsa? Por que o conceito de privacidade é tão relativizado aqui? Por que você não acha normal dividir a conta com um homem no restaurante? Durante aquela noite de bate-papo e chá de camomila, minha amiga Dasha demonstrou uma paciência infinita, ouvindo atentamente minhas perguntas e gentilmente esclarecendo todas as minhas dúvidas.

Ela estava abrindo um novo mundo para mim, revelando a essência da alma russa.

Naquele momento, comecei a aplicar minha “teoria da relatividade” em todas as situações, contextualizando para entender e “decodificar” a mentalidade russa.

O que os latino-americanos buscam na Rússia? Saiba aqui.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies