Oriundos da China, mexilhões enormes causam desequilíbrio no ecossistema do rio Volga

Kim, Hyun-tae/CC BY-NC-SA 4.0
Moluscos têm de 20 a 25 centímetros.

A invasão de frutos do mar originários da China vem gerando diversos prejuízos ao ecossistema do Baixo Volga, de acordo com a imprensa russa.

Os moluscos gigantes, cujas conchas podem atingir de 20 a 25 cm de diâmetro, utilizam peixes para reproduzir e distribuir suas larvas, anexando-as às brânquias e ao corpo dos habitantes do rio, o que leva a problemas de saúde para peixes adultos. Além disso, devido à grande quantidade, os mexilhões estão substituindo os invertebrados locais, levando a uma mudança na biodiversidade e a uma redução no suprimento de alimentos para os peixes que vivem no Volga.

Os cientistas identificaram ainda focos locais desses frutos do mar nos rios Ob e Ienissei, também na Rússia. Não se sabe quantas fazendas de peixes no país foram tomadas por moluscos estrangeiros, mas estima-se a existência de várias dezenas.

Essas espécies incomuns de mexilhão chegaram aos ecossistemas domésticos de água doce do Cazaquistão por meio de empresas de piscicultura.

LEIA TAMBÉM: 10 animais raros que ainda dá para encontrar na Rússia (FOTOS)

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies