10 palavras russas impossíveis de traduzir (parte 2)

De jargão de prisão a bebedeira, passando por palavras do eslavo antigo que copiam o grego, russos têm palavras cuja tradução é quase impensável.

De jargão de prisão a bebedeira, passando por palavras do eslavo antigo que copiam o grego, russos têm palavras cuja tradução é quase impensável.

Каterina Lobanova
Lista inclui vocábulo referente a bebedeira que só faz sentido aos russos e às peculiaridades do país na ingestão alcoólica!

Enquanto muitas línguas não têm um correspondente à palavra portuguesa “saudade”, por exemplo, os russos têm seus próprios vocábulos intraduzíveis (ou quase!). O Russia Beyond compilou uma lista dessas palavras:

1. Sôviest

Esta palavra vem do eslavo antigo e copia o grego “syneidesis” (consciência, senso de dever). Mas, em russo, o significado de “sôviest” é muito mais amplo e se refere a uma profunda interpretação pessoal de bem e mal e do sentimento de responsabilidade não apenas diante da sociedade, mas diante de Deus e de si próprio.

Os russos consideram o “sôviest” como uma noção  vívida, empregando-o nas expressões “torturas do sôviest” (ou ainda “испытываю угрызения совести”, se a pessoa tiver feito algo ruim), “feito pelo sôviest” (“сделано на совесть”, para algo “de boa qualidade”, “bem feito”).

2. Zapôi

Existe uma crença bastante difundida de que os russos são uns beberrões. O que não deixa rastro de dúvida, porém, é que os russos têm uma porção de palavras ligadas à cultura da bebedeira.

Por exemplo, não há tradução direta para a palavra “zapôi”. Ela representa não apenas uma longa farra com bebida, mas uma condição recorrente que por vezes dura mais de uma semana. Alguns historiadores afirmam que se receitava legalmente a comerciantes na Rússia imperial que descansassem para curar a “doença da alma”.

Hoje em dia, não há muitos russos que acreditem que o “zapôi” seja um reinício necessário de tempos em tempos. Há também a expressão “fazer algo por ‘zapôi’” (por exemplo, ler por ‘zapôi’, ou seja, “читать запоем”), que significa fazer algo por um longo tempo ininterrupto, estar totalmente imerso em um processo.

3. Pogrôm

O termo ‘pogrôm’ tem diversos significados como tumulto ou massacre. Mas, sobretudo, ele descreve um ato organizado de crueldade ou assassinato contra um grande grupo de pessoas devido a sua etnia ou religião. Para que o vocábulo possa ser usado, as autoridades locais devem aprovar ou fazer vista grossa ao ato também.

O termo é normalmente aplicado à violência contra os judeus no Império Russo no final do século 19 e início do 20, de acordo com a Enciclopédia Britânica. As características de um ‘pogrom’ variam, de acordo com incidentes específicos, culminando em massacres, por vezes.

Posteriormente, o vocábulo passou a fazer parte de outras línguas, como a inglesa, para descrever a violência massiva em outros países, como por exemplo na Alemanha (é o caso da “Kristallnacht” também chamada de “Noite dos Cristais” ou “Pogroms de Novembro”).

4. Bába

Originalmente, esta palavra tinha um significado específico: uma mulher velha ou uma feiticeira. Na Rússia, alguns linguistas acreditam que a combinação dos sons “BA BA” seja a reação de uma criança a outra mulher que viva na casa da família.

Há uma corrente de linguistas que afirma que a palavra teria se transformado na famosa “bábuchka” (avó). Mas, no século 18, o termo ganhou outro significado: a mulher do servo (camponês), e tornou-se sinônimo de uma mulher simples e sem educação

A personificação da “bába” russa é conhecida devido ao poema de Nikolai Nekrassov “Quem é feliz na Rússia?”. Nele, “bába” é uma  mulher que pode parar um cavalo em plena ladeira e entrar em uma casa em chamas.

Hoje, a palavra ainda soa ofensiva quando direcionada às mulheres russas.

5. Mujík

Originalmente, esta palavra dizia respeito a um “camponês casado”. Após a Revolução Russa de 1917, aqueles que detinham o status de “mujík” se orgulhavam de ser o contrário do burguês. Foi então que a expressão “verdadeiro mujík” entrou para a língua russa, onde se mantém até hoje.

Quem é o verdadeiro “mujík”? É um homem que tem, certamente, uma porção de qualidades: ele não é apenas forte, como paciência, direto e reto, e usa sua “smekalka” (veja o próximo item da lista) por vezes.

Mas a palavra não é tão exata: ela também pode se referir a um homem sem educação e grosseiro.

6. Smekálka

A “smekálka” é uma das características típicas da “misteriosa alma russa”: não é apenas sobre ser espertalhona, geniosa ou inventiva, mas sobre ter a habilidade de resolver problemas rapidamente de maneira simples e imaginativa.

Nos contos folclóricos russos, as personagens positivas sempre têm um monte de “smekálka”. Ela os ajuda a superar as dificuldades e vencer as personagens más.

A “smekálka” ajudou comandantes russos honrados a alcançar vitórias grandes e miraculosas. Quando o general militar Aleksandr Suvorov teve que atravessar uma ponte quebrada nos Alpes, ele fez seus soldados tricotarem as barquilhas a seus cachecóis, e com isso eles conseguiram consertar a ponte!

7. Brodiága

Esta palavra russa em geral é vertida como “vagabundo” ou “vadio”, referindo-se a uma pessoa que não tem casa e se está sempre vagando. Mas o brodiága não é um sem-teto no sentido tradicional. Ele apenas gosta de viver em diferentes lugares e é um “desapegado”. Como os russos dizem sobre os “brodiága”: eles vão com o vento, um dia estão aqui, no dia seguinte já se foram.

8. Dukh

Esta é uma das pedras fundamentais da literatura e da cultura russa em geral. De acordo com crenças religiosas, o “dukh” é uma base imaterial próxima da palavra “duchá” (alma).

Além disso, o “dukh” está ligado a condição interior dos humanos. “A força do ‘dukh’” (сила духа) significa a força moral individual. O “‘dukh’ da liberdade”(дух свободы) significa um espírito.

9.Khaliáva

Esta palavra é usada constantemente na expressão “nakhaliávu”, que significa conseguir algo totalmente gratuito e sem esforço algum. O conceito é considerado intraduzível, mas muito similar ao brasileiro “na faixa”. Próxima ao “de graça, até injeção na testa”, a expressão russa para exprimir essa ideia é: “vinagre é doce se for ‘nakhaliávu’”.

Khaliáva é o extremo oposto do trabalho duro. A felicidade russa inclui riquezas adquiridas por pura sorte ou o aparecimento repentino de um parente rico que morre imediatamente deixando uma fortuna.

Um dia antes das provas, universitários que não estudaram tentam atrair “khaliáva” (que deve, em teoria, ajudá-los), abrindo os livros e gritando da janela do dormitório: “khaliáva, venha aqui!”.

10. Zapadlô

Esta palavra faz parte do jargão de prisão, mas hoje muitos russos que nunca estiveram atrás das grades a usam. Ela é derivada da palavra “pádla”, que significa um homem furtivo e mau.

Quando os russos dizem “zapadlô”, isso significa que eles não querem ser como esse homem mau. “Mne zapadlô” (‘para mim, isso é ‘zapadlô’) significa que a pessoa não quer fazer algo porque ela considera a ação humilhante, além de sua dignidade.

Tenha em mente, porém, que a palavra tem conotação negativa. Se estiver entre pessoas decentes, é melhor você dizer “ni kak ne mogú, izviníte!” (eu não posso de jeito nenhum, desculpe!).

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies