Estatal de Moscou entra para o top-5 de universidades do Brics

Universidade de São Paulo empatou com a de São Petersburgo, em 13° lugar. Na foto, prédio principal da Estatal de Moscou (MGU).

Universidade de São Paulo empatou com a de São Petersburgo, em 13° lugar. Na foto, prédio principal da Estatal de Moscou (MGU).

Nikolas Titkov/flickr.com
Unicamp foi a instituição brasileira mais bem colocada no ranking da Quacquarelli Symonds, que só avalia universidades dos cinco países, e ficou em 12º lugar.

Um total de dez universidades russas foram listadas no Top-50 do ranking mais recente de instituições de ensino superior dos países do Brics, o QS World University Rankings: BRICS 2018.

 O ranking foi compilado pela Quacquarelli Symonds, que avalia a reputação entre os empregadores, a proporção do número de estudantes e professores, o número total de artigos científicos publicados e citações das universidade.

 A Universidade Estatal de Moscou Lomonossov (MGU, na sigla em russo) ocupou o quinto lugar do ranking, que foi liderado por quatro instituições chinesas: Universidade de Tsinghua, Universidade de Pequim, Universidade de Fudan e Universidade de Ciência e Tecnologia da China.

“O resultado reflete o aumento da atividade da universidade no espaço científico e educacional global e demonstra a relevância dos graduados da MGU entre os empregadores”, disse o reitor da Estatal de Moscou, Víktor Sadôvnitchi, à agência de notícias RBC.

Além disso, segundo ele, a MGU demonstrou um aumento significativo na citação de publicações científicas.

Em dezembro de 2016, segundo o ranking Times Higher Education, a MGU ficou em terceiro lugar entre as universidades dos países do Brics.

A Universidade Estatal de São Petersburgo (SPU na sigla em inglês) subiu 7 posições do ano passado para cá, ocupando 13º lugar no ranking, empatada com a Universidade de São Paulo (USP).

Entre as 61 universidades brasileiras incluídas no top-300 do rating, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) recebeu a avaliação mais alta, ficando em 12º lugar na lista.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies