Quais países compraram armas russas em 2021?

irkut.com/Global Look Press
Neste ano, a Rússia exportou US$ 55 bilhões em aviões militares, sistemas de defesa antiaérea e fuzis de assalto.

Em 2021, a Rússia entrou para a lista dos cinco maiores exportadores de armamentos do mundo, junto com os Estados Unidos, China, Alemanha e França. O país é responsável por quase 20% de todas as armas vendidas no mercado internacional.

Neste ano, apesar da pandemia, a Rússia conseguiu aumentar as receitas provenientes da venda de equipamentos militares em US$ 10 bilhões, segundo o diretor do Serviço Federal de Cooperação Técnica Militar, Dmítri Chugaev.

No total, em 2021, a Rússia assinou contratos militares que totalizaram US$ 55 bilhões. O Russia Beyond compilou uma lista dos maiores clientes estrangeiros da indústria armamentista russa.

Índia

Em 2021, o Consórcio Kalashnikov, que faz os fuzis de assalto russos AK assinou um grande acordo, de US$ 590 milhões, com Nova Deli para a fabricação de fuzis AK-203 em uma fábrica na cidade de Korwa.

A empresa russa iniciará uma linha de produção licenciada de fuzis de assalto para forças militares da Índia.

Segundo com o acordo, Nova Deli fabricará 671.427 fuzis AK-203, e cada arma custará US$ 958.

O AK-203 é uma modificação de AK-74, criada especialmente para os militares indianos. A arma dispara munições de calibre de 7,62 x 39 mm.

“O AK-203 tem melhor precisão de tiro, recebeu uma nova alça, uma coronha retrátil dobrável, trilhos Picatinny na parte superior e na parte inferior para os militares indianos instalarem miras, punhos e lanternas”, explica o diretor do departamento de cooperação técnico-militar do Consórcio Kalashnikov, Vladímir Onokoi.

A Índia continua sendo um dos maiores compradores de armas da Rússia. Até o final de 2021, Moscou fornecerá ao país o primeiro lote de sistemas de defesa antiaérea S-400, de acordo com o contrato assinado em 2018.

“O S-400 continua a ser um dos sistemas de defesa aérea mais avançados do mundo, que pode abater todos os alvos aéreos modernos, desde bombas a caças stealth e mísseis de cruzeiro”, diz o diretor de desenvolvimento da Fundação para a Promoção de Tecnologias do Século 21, Ivan Konovalov. Segundo ele, a Índia é o primeiro parceiro estrangeiro que receberá esse sistema da Rússia.

África e Oriente Médio

Em 2021, a Rússia assinou acordos militares que totalizaram US$ 1,7 bilhão com 17 países africanos.

A Rosoboronexport (empresa responsável pela exportação de armas russas) não especifica quais países africanos receberão esses armamentos, mas afirma que os contratos incluem helicópteros, sistemas de defesa aérea, equipamentos navais, veículos blindados leves e armas de fogo.

“Desde o início de 2021, todas as exportações russas de armas foram mantidas como 'segredo de Estado'", diz o editor-executivo da revista Independent Military Review, Dmítri Litôvkin.

Segundo ele, a Rússia apresentou a clientes africanos, durante uma exposição militar em meados de 2021, veículos blindados de transporte de pessoal BTR-80, toda a gama dos mais recentes fuzis de assalto AK (AK-12, AK-15, AK-19 e AK-308), bem como mísseis anti-tanque Kornet.

Durante exposições militares no Oriente Médio, a Rússia também assinou contratos que totalizaram US$ 1,3 bilhão.

Munições para os Estados Unidos

Apesar das sanções dos EUA, a indústria armamentista russa bateu o recorde de exportações de munições para o país.

De acordo com estatísticas do Departamento de Censo dos Estados Unidos, nos primeiros dez meses do ano, empresas americanas importaram munições russas para armas leves que totalizaram US$ 157,9 milhões, ou seja, cerca de 7,7 milhões projeteis para fuzis de assalto AK no mercado civil.

“As sanções americanas impostas em agosto de 2021 restringem a compra de armas de fogo e munições da Rússia. As empresas americanas estão tentando adquirir o máximo de munições possível antes que as sanções entram em vigor totalmente. Em alguns anos, as novas restrições proibirão todas as entregas de munições russas para os EUA. Assim, as empresas americanas terão que encontrar novos fornecedores de munições para fuzis AK”, explica Litôvkin.

Países da ex-União Soviética

Su-30.

A Rosoboronexport não revela o valor dos contratos militares com membros da Comunidade dos Países Independentes (CEI), organização supranacional que inclui 11 repúblicas que pertenceram à antiga União Soviética. Ainda assim, segundo especialistas militares, em 2021, Moscou continuou a ser o principal fornecedor estrangeiro de armas e equipamentos militares para os países da CEI.

Os principais importadores de armas russas são o Cazaquistão e a Bielorrússia.

O Cazaquistão recebeu cinco divisões de sistemas de defesa aérea S-300PS, 16 caças multifuncionais Su-30 da geração 4+ e prorrogou contratos para importação de caças Su-30SM.

As exportações de armas russas para a Bielorrússia cresceram 300% em comparação com 2015. São principalmente sistemas de defesa aérea e aeronaves para as Forças Aéreas.

Segundo a imprensa russa, neste ano, Minsk recebeu sistemas de defesa aérea S-300 e aeronaves de treinamento Yak-130.

América Latina

S-300PS

Desde o início dos anos 2000, a Rússia tem contratos militares com sete países da América Latina: Argentina, Brasil, Colômbia, Equador, Peru, Uruguai e Venezuela.

“Moscou vende helicópteros, veículos blindados leves, sistemas de defesa aérea e armas de fogo para os países da região. O maior cliente da Rússia na região é a Venezuela. Seu exército está armado principalmente com armas de fabricação russa”, diz Litôvkin.

Segundo especialistas militares, em 2021, a Venezuela adquiriu equipamentos de apoio à infantaria blindada, como veículos de combate de infantaria BMP-3M e blindados de transporte de pessoal BTR-80A, sistemas de artilharia Msta-S e sistemas de lançadores múltiplos de foguetes Grad.

O país também assinou contratos para exportação de tanques T-72B1 e sistemas de defesa aérea S-300VM, Buk-M2 e Tor-M1.

As Forças Aéreas da Venezuela adquiriram helicópteros de batalha e de transporte russos, como o Mi-17-1B 'Panare', o Mi-26T2 'Pemon' e o Mi-35M2 'Caribe', bem como diversos caças de múltiplas funções Su-30MK2B.

VEJA TAMBÉM: 3 armas da Otan usadas pelo Serviço Federal de Segurança da Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies