Baixa taxa de desemprego russa não significa mercado de trabalho livre de problemas

Reuters
Estatisticamente, Rússia pode ser comparada aos países mais desenvolvidos em termos de taxa de desemprego.

No período entre dezembro de 2018 e fevereiro de 2019, a taxa oficial de desemprego na Rússia foi de 4,9%, um indicador extremamente baixo. Para efeitos de comparação, a taxa de desemprego média nos países da zona do euro é de 7,9%.

Segundo os economistas, embora a taxa seja realmente muito baixa na Rússia, isto não é necessariamente um sinal de uma economia próspera.

Cortes de pagamento em vez de demissões

“As empresas russas não querem demitir as pessoas. A legislação de proteção ao emprego não permite que os empregadores demitam alguém sem razão, mas não é proibido reduzir os salários”, diz o pesquisador do laboratório de estudos do mercado de trabalho da Escola Superior de Economia, Pável Trávkin.

A afirmação é confirmada pelo relatório sobre o mercado de trabalho russo produzido pelo Centro de Pesquisas Estratégicas da Rússia.

“Nos períodos da queda econômica, a taxa de desemprego quase não diminui, e não aumenta durante o crescimento econômico. Mesmo durante as recessões mais profundas, o desemprego não mostrou sinais de rápido crescimento”, lê-se no relatório. 

No entanto, toda vez que a economia russa cai, também diminuem os salários nas empresas locais.

Em outras palavras, isto significa que é difícil ser demitido na Rússia, mas cortes salariais podem ser severos.

Subsídios de desemprego simbólicos

Mesmo com salários muito baixos, a maioria dos russos prefere manter o emprego, porque os subsídios do governo aos desempregados são escassos. Mesmo depois de serem quase dobrados em 2019, eles continuam irrisórios, variando de entre 1.500 e 8.000 rublos (US$ 24 e US$ 124), enquanto o salário mínimo na Rússia é de 11.280 rublos (US$ 175).

Assim, a matemática é simples: é melhor manter um emprego insatisfatório de salário muito baixo que receber apenas o subsídio.

LEIA TAMBÉM: 7 dicas para começar a ensinar sua língua na Rússia

Além de pagar os subsídios, os centros de emprego na Rússia são obrigados a oferecer empregos aos requerentes. Caso o requerente não aceite nenhuma das primeiras duas sugestões do centro, o Estado tem o direito de parar de fornecer o subsídio.

“É por isso que o número oficial de desempregados na Rússia é tão baixo. Os subsídios oficiais de desemprego são simbólicos e, assim, uma enorme quantidade de pessoas opta por não se registar como desempregadas", diz o vice-presidente da Confederação do Trabalho da Rússia, Oleg Chein.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies