Quanto valem as reservas de petróleo e gás russas?

Legion Media
Ministério de Recursos Naturais e Proteção Ambiental da Rússia avalia pela primeira vez na história suas reservas em números.

O Ministério de Recursos Naturais e Proteção Ambiental da Rússia publicou uma avaliação do valor das reservas de minerais pela primeira vez na história, segundo o jornal econômico russo RBC.

A pasta avaliou os dados de 2017 e promete atualizar o indicador anualmente.

O valor total de recursos minerais e energéticos (petróleo, gás, ouro, cobre, ferro, e carvão) foi estimado em 55,24 trilhões de rublos (quase US$ 860 bilhões ), ou seja, 60% do PIB da Rússia de 2017.

As reservas naturais mais valiosas e importantes da Rússia são as de petróleo, com 9,04 bilhões de toneladas e um valor total de 39,6 trilhões de rublos (US$ 616,5 bilhões).

O segundo lugar é ocupado pelo gás natural, cujos 14,47 trilhões de metros cúbicos do país valem 11,3 trilhões de rublos (US$ 225,3 bilhões), seguido pelas reservas de carvão, que valem 2 trilhões de rublos (US$ 31,1 bilhões).

As reservas de ferro foram estimadas em 808 bilhões de rublos (US$ 12,5 bilhões), as de diamantes, em 505 bilhões de rublos (US$ 7,9 bilhões) e as de ouro , em 480  bilhões de rublos (US$ 7,5 bilhões).

Como foi feito o cálculo?


De acordo com os especialistas do Ministério, o objeto de avaliação foram “as reservas no subsolo que têm licenças de uso e projeto técnico aprovado ou outra documentação de projeto”.

Em outras palavras, as reservas avaliadas pelo Ministério de Recursos Naturais não contemplam a totalidade de recursos do país.

A pasta também usou a abordagem do rendimento - um conjunto de métodos de avaliação baseados na determinação de receitas potenciais associadas à exploração das reservas.

O indicador geral da estimativa é o valor de fluxo de caixa líquido descontado, que pode ser obtido como resultado da extração e venda de recursos minerais.

LEIA TAMBÉM: Petróleo tudo bem, mas você sabia que a Rússia exporta sangue?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies