Em visita a Moscou, ministro português defende relações bilaterais com a Rússia

Santos Silva (esq.) e Lavrov, em Moscou

Santos Silva (esq.) e Lavrov, em Moscou

Ministério dos Negócios Estrangeiros russo/Global Look Press
Santos Silva citou “grande diversidade de esferas” em que empresas russas podem investir em Portugal. Sanções da UE foram destaque em encontro entres diplomatas.

Durante uma visita oficial de dois dias, o ministro das Relações Exteriores português, Augusto Ernesto dos Santos Silva, reiterou o interesse do país em aumentar o volume comercial com a Rússia e assumiu que as sanções prejudicam “ambas as partes”.

“Portugal tem defendido dentro da União Europeia, e falo também publicamente, o relacionamento bilateral [com a Rússia]. Temos que aproveitar qualquer evolução positiva no plano político para superar o impasse que hoje vivemos no plano das sanções e contrassanções, e que está a prejudicar ambas as economias”, disse Santos Silva, após encontro com seu homólogo russo Serguêi Lavrov, na segunda (26).

Lavrou também afirmou a disposição da Rússia em “evitar política de isolacionismo”.

Entre outros temas, os diplomatas debateram a situação do Oriente Médio e no Norte da África, as relações Rússia-Otan e os desenvolvimentos da crise russo-ucraniana.

Na véspera do encontro, Santos Silva declarou à agência TASS que Lisboa espera intensificar as relações econômicas entre Portugal e Rússia em breve.

“Queremos discutir nossas relações bilaterais e dar especial atenção às questões econômicas”, disse Santos Silva. “Além disso, estamos interessados ​​em uma troca de opiniões sobre nossos planos nas Nações Unidas.”

Segundo o ministro português, Lisboa não está satisfeita com o atual volume de trocas comercial com Moscou, e “certamente espera que os países intensifiquem seu comércio dentro de pouco tempo”.

“Portugal tem algumas boas oportunidades de investimento, e a lista das nossas exportações mais proeminentes inclui produtos que tenho certeza que serão populares no mercado russo”, disse Santos Silva, citando ainda o setor turístico.

“Temos patrimônios e monumentos únicos, cidades pitorescas, paisagens inesquecíveis, cozinha incomparável, muito sol e excelentes praias, e, além disso, segurança, hospitalidade e profissionalismo”, disse Santos Silva. “O número de russos que vão a Portugal está aumentando e devemos ajudá-lo a crescer ainda mais.”

Leia também "S&P eleva nota de crédito da Rússia"

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies