Petróleo de difícil acesso terá extração mais simples

Nos Estados Unidos, o custo da exploração convencional já quase se equipara ao do xisto.

Nos Estados Unidos, o custo da exploração convencional já quase se equipara ao do xisto.

Nikolay Gyngazov/Global Look Press
Rússia intensificará produção de petróleo de xisto para testar novas tecnologias.

A partir de 2019, as petrolíferas russas terão a possibilidade de testar e desenvolver novos métodos de extração de petróleo de xisto.

Hoje, a maioria dos produtores de petróleo não está interessada em jazidas de hidrocarbonetos de xisto de difícil extração devido aos numerosos riscos e altos custos.

Assim, o Ministério dos Recursos Naturais da Rússia quer estimular a exploração dessas jazidas de xisto, determinando uma lista das que serão usadas para testar novos tipos de tecnologias de perfuração e extração.

O governo russo já está oferecendo benefícios para as empresas que se dedicarem a extrair petróleo "difícil". Os produtores que exploram petróleo de xisto não precisarão pagar impostos sobre a extração da matéria-prima.

No entanto, as petrolíferas não podem desenvolver suas próprias tecnologias, já que, de acordo com a legislação, apenas aqueles que detêm 100% da jazida explorada podem realizar testes de novas tecnologias.

A partir de 2019, porém, as petrolíferas que exploram as jazidas de petróleo de difícil acesso poderão receber licenças gratuitas para o desenvolvimento de novas tecnologias de exploração, segundo o Ministério dos Recursos Naturais do país.

De acordo com o ministro da pasta, Serguêi Donskôi, as licenças serão válidas por um período de sete anos, com a possibilidade de prorrogação por mais três anos.

"Esperamos que, graças a esses mecanismos, o volume de extração de petróleo de xisto aumente significativamente", disse Donskôi ao jornal Izvêstia.

Em 2017, a Rússia produziu quase 39 milhões de toneladas de petróleo de xisto.

Dentre as grandes petrolíferas russas, todas estariam interessadas nas licenças para testar novas tecnologias, de acordo com uma fonte do Izvêstia no mininstétio. Entre essas, estariam a Surgutneftegaz, a Lukoil e a Gazprom Neft, que explora a jazida Krasnoleninskoie, na Sibéria Oriental.

A Krasnoleninskoie é considerada a maior jazida de petróleo de xisto do mundo. As reservas desta jazida podem conter mais de 20 bilhões de toneladas de petróleo de difícil acesso, de acordo com a Administração de Informações de Energia dos Estados Unidos.

Com a diminuição das reservas de petróleo tradicional, a extração desse tipo de petróleo ganha cada vez mais demanda, diz o analista-chefe do Fundo Nacional de Segurança Energética, Ígor Iuchkov.

“Mas a produção do petróleo de difícil acesso na Rússia é rentável apenas com o preço do petróleo acima de US$ 60 a US$70 por barril, enquanto a produção do petróleo tradicional é rentável com o preço acima de US$ 35-40 por barril”, afirma Iuchkov.

Nos Estados Unidos, o custo da exploração convencional já quase se equipara ao do xisto, completa.

As tecnologias dos EUA, porém, têm grandes riscos ambientais, enquanto a extração do petróleo de xisto na Rússia é mais segura devido às tecnologias desenvolvidas na época soviética.

"Assim, a modernização de tecnologias soviéticas de extração de petróleo de xisto pode permitir que a Rússia continue a aumentar a produção de petróleo", afirma.

Quer saber mais sobre a indústria petrolífera russa? Leia “Ouro negro: como nasceu a indústria do petróleo russa”.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais