25 fotos exclusivas do balé soviético

Aleksandr Steschanov/MAMM/MDF/russiainphoto.ru
Apresentações, ensaios, turnês - mergulhamos no incrível mundo do balé, o cartão de visita da URSS.

Nos tempos soviéticos, a antes arte elitizada do balé se tornou popular. Era muitas vezes exibida na TV, mesmo quando o balé era a última coisa se passando na cabeça das pessoas. O caso mais emblemático é a exibição de O Lago dos Cisnes durante o golpe de agosto de 1991, quando a linha dura comunista tentou tomar o poder.

No entanto, o público soviético simplesmente adorava balé, derramando inúmeras lágrimas sobre o mesmo Lago dos Cisnes. O público se deslumbrava com os cenários pomposos, os trajes extravagantes e, claro, a arte inimitável. O balé também era um dos principais produtos de exportação do país, uma espécie de cartão de visitas da Terra dos Soviéticos. Eram principalmente companhias de balé que faziam turnês do outro lado da Cortina de Ferro - em parte por questões de idioma, mas sobretudo por seu brilho absoluto. Paralelamente, outros teatros de ópera e balé foram surgindo por toda a URSS.

O sonho de muitas meninas era entrar na escola de balé e se tornar uma prima donna famosa; os requisitos e condições, entretanto, exigiam demais. Foi devido a esse processo de seleção darwiniano as bailarinas soviéticas se tornaram tão competentes e lendárias. Sem falar da coreografia criada por mestres do balé soviético, ainda usada nos principais teatros.

1. Grupo de vanguarda Arte do Movimento tentou reformar o balé

2. Bailarina Galina Ulanova vestida como um membro do Komsomol no balé A Idade do Ouro, de Dmítri Chostakóvitch, 1930

3. Composição experimental de artistas do Teatro de Ópera e Ballet de Kiev Taras Chevtchenko, 1931

4. Nem mesmo durante a guerra, o balé parou. Teatro Bolshoi evacuado durante apresentação, 1941

5. Galina Ulanova no balé Romeu e Julieta de Serguêi Prokofiev, encenado no Teatro Bolshoi, 1946

6. Ensaio do primeiro balé infantil Aistenok [A cegonha], 1948

7. Elena Vanke no balé Coppélia, de Léo Delibes, no Teatro Bolshoi, 1949

8. Bailarinas posam nos bastidores com trajes de Coppélia, 1949

9. Maia Plissetskáia como Odile, 1949

10. Cena do balé O Cavaleiro de Bronze, de Reingold Glière, no Teatro Bolshoi, 1949

11. Balé com temática chinesa A Papoula Vermelha (no navio, lê-se “Sindicatos russos para trabalhadores chineses”), década de 1940

12. Cena de O Lago dos Cisnes. Teatro Bolshoi, anos 1950

13. Escola de Ballet do Teatro Bolshoi, década de 1950

14. O Lago dos Cisnes, apresentado pela Teatro Estatal de Ópera e Balé de Novosibirsk, 1955

15. Amizade dos povos no balé: Gayane, de Aram Khachaturian, no palco do Teatro Bolshoi, anos 1950

16. Spartacus, de Aram Khachaturian, encenado por Igor Moiseev, 1958

17. Pioneiros executam a Dança dos Pequenos Cisnes em uma cerimônia de despedida de trabalhadores rumo às terras virgens, 1958

18. Famosa bailarina Maia Plissetskáia no Lago dos Cisnes, anos 1960

19. Maia Plissetskáia como Kitri no balé Don Quixote do Teatro Bolshoi, 1964

20. No ensaio, 1971

21. Passos complexos precisam ser ensaiados em um tutu, 1971

22. Maris Liepa e Marina Kondratieva em uma cena de Spartacus, 1976

23. Cena de O Lago dos Cisnes, anos 1980

24. Nos bastidores do Bolshoi, 1983

25. No camarim do Teatro de Ópera e Ballet de Voronej: bailarina ajeita seu figurino e lê o jornal Izvéstia, 1984

LEIA TAMBÉM: Os segredos das bailarinas russas para manter a juventude

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies