Os 5 filmes mais nostálgicos do verão russo

Leonid Gaidai/Mosfilm, 1966
Nesses longas, o verão não é apenas um pano de fundo aleatório, mas um dos maiores “personagens secundários” que se possa imaginar.

  1. ‘Chuva de Julho’, de Marlen Khutsiev 

Uma mulher loira e bonita (do tipo Cameron Diaz) corre para se abrigar enquanto a chuva quente de julho começa a cair. Um homem bonito (à la Daniel Craig) empresta seu casaco a ela. “Feito para ser à prova d'água”, diz ele. Lena, que tem namorado, dá ao senhor, cujo nome é Zhenya, seu número de telefone para que ele possa contatá-la e pegar seu casaco de volta. Este breve encontro termina, e Lena retorna à agitação de sua vida rotineira. Eventualmente, Zhenya liga. E ele de novo e de novo, de novo e de novo, e eles conversam por horas. Suas vidas nunca mais serão as mesmas. Há uma sensação de mudança no ar.

Este romance poeticamente comovente se passa na Moscou dos anos 1960, durante o degelo de Khruschov. Marlen Khutsiev conseguiu transmitir não apenas o espírito daquela época, mas mapear intuitivamente as vidas, esperanças e destinos da geração pós-guerra.

  1. ‘Bem-vindo ou entrada proibida’, de Elem Klimov

Nos bons e velhos tempos, os alunos soviéticos passavam todo verão em um acampamento de pioneiros (semelhante a um acampamento de verão de escoteiros).

Este clássico de 1964 conta a história hilária de um desses meninos, Kostya Inochkin, que foi expulso do acampamento por nadar no lugar errado. Mas o menino não desiste e, antecipando a reação de sua avó severa, retorna secretamente ao acampamento de pioneiros para evitar um potencial drama familiar. Mas ele e seus amigos terão que assumir atitudes extremas para esconder a verdade e consertar as coisas.

Esta comédia de aventura (que também é uma sátira velada ao poder soviético) traz de volta memórias nostálgicas da infância, mesmo que o espectador nunca tenha ido a um acampamento de pioneiros. Não é à toa que em 2015 este filme foi exibido na seção Cannes Classics do mais prestigiado festival de cinema do mundo.

  1. ‘A Prisioneira do Cáucaso', de Leonid Gaidai

Lançada em 1966, a famosa comédia de Gaidai se passa no sul da União Soviética. Um jovem simplório viaja para o Cáucaso para aprender alguns mitos, lendas e costumes dos habitantes locais. Mas, é verão, e o amor está no ar! Shurik tem uma queda por Nina, que é descrita como uma “estudante bela e exemplar, e membro do Komsomol”. As coisas vão à loucura quando Nina é sequestrada repentinamente, e Shurik terá que mover montanhas para resgatá-la. A comédia tresloucada de Gaidai oferece humor cáustico, uma atmosfera divertida e paisagens deslumbrantes do Cáucaso.

  1. ‘Happy-go-lucky’ (título internacional), de Vasily Shukshin

Um casal soviético de uma aldeia remota de Altai está de viagem marcada para um resort à beira-mar no sul do país pela primeira vez na vida. Como era de se esperar, eles experimentam a sensação de saudade de casa muito antes de fazerem as malas e partirem. Ivan e sua esposa Nyura dão uma festa de despedida, como se estivessem deixando sua casa para sempre. Eles se reúnem ao redor de uma grande mesa, cantam músicas e conversam emocionadamente com seus vizinhos, parentes e amigos. No caminho para o mar, Ivan e Nyura vão encontrar todo tipo de gente e se deparar com situações engraçadas. No entanto, apesar da beleza do mar ao seu redor, Ivan e Nyura ficarão olhando para trás o tempo todo, com uma saudade desesperadora de casa.

O multitalentoso escritor, ator e diretor Vasily Shukshin, que cresceu em uma família de camponeses na região de Altai, chegou a avaliar este filme como seu melhor trabalho. 

  1. ‘Sportloto-82’, de Leonid Gaidai

A temporada de férias de verão chegou, e com ela vem a fome insaciável por aventuras.. Um grupo de turistas segue de trem para uma região à beira-mar. Um rapaz chamado Kostya está tentando chamar a atenção de uma garota charmosa chamada Tanya. Em um esforço para surpreender a jovem, ele dá a ela a oportunidade de se arriscar e preencher qualquer combinação de números em seu bilhete de loteria ‘Sportloto’. Ela brinca e diz “1, 2, 3, 4, 5, 6”. É claro que ninguém acredita que Tanya poderia tirar a sorte grande.

A comédia acelerada de Gaidai se tornou o filme de maior bilheteria da URSS em 1982. Há belas paisagens, muita ação e um clima divertido de verão para apimentar as coisas. Sol, mar, diversão e um bilhete premiado - às vezes, isso é tudo que realmente se precisa.

VEJA TAMBÉM: O verão nas pinturas dos gênios russos da arte

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies