Conheça a protagonista de “Anna Karenina”, série russa que será lançada na Netflix (FOTOS)

Andreas Rentz/Getty Images; Legion Media
Nova adaptação do clássico de Lev Tolstói terá no papel principal a atriz Svetlana Khodchenkova, que já atuou em Hollywood ao lado de Gary Oldman e Hugh Jackman.

“A socialite Anna Karenina, futura esposa do governador de São Petersburgo, começa um caso de amor fatídico com Vronski, o herdeiro de um império de alumínio. O caso rapidamente foge do controle, ameaçando o delicado equilíbrio de laços familiares e relações sociais. Ambientado entre a cosmopolita Moscou, a histórica São Petersburgo e a dura realidade do interior russo, o drama explora temas de paixão, lealdade e a verdade irrefutável de que nenhuma riqueza pode nos salvar da capacidade do amor de nos libertar ou nos levar para o abismo.” Assim descreveram os criadores do enredo da série provisoriamente intitulada “Anna K”, que está sendo produzida para a Netflix pelo estúdio de cinema russo 1-2-3 Production. O estúdio é responsável inclusive por outra série russa na plataforma, “A Cidade dos Mortos”. Conheça abaixo um pouco da atriz Svetlana Khodchenkova, de 38 anos, que irá interpretar o papel da famosa heroína de Tolstói.

Khodchenkova durante a inauguração do pavilhão russo Roskino no 69º Festival de Cinema de Cannes, França, em 14 de maio de 2016

Khodchenkova nasceu em Moscou em 1983 e cresceu na cidade de Balachikha, não muito distante da capital, apenas com sua mãe, já que os pais eram divorciados desde pequena. Na escola, segundo ela mesma, era considerada “um pouco nerd”. Khodchenkova já sonhava em ser atriz, mas teve um primeiro teste desastroso. Com isso, decidiu abandonar a atuação e se tornar veterinária. Mas logo percebeu que ficava enjoada com sangue e não daria certo. Aos 15 anos, começou a trabalhar como modelo para superar seus complexos.

Khodchenkova como Vera no filme de Stanislav Govorukhin de 2003, Bless the Woman [Blagoslovite Zhenshchinu], baseado no romance da escritora soviética Irina Grekova

“Eu tinha medo das pessoas, medo de chegar e falar alguma coisa, tinha medo de perguntar a hora ou o caminho na rua. Modelar te disciplina de alguma forma, o torna mais adulta. Além disso, tive que trabalhar muito tempo no exterior, sozinha, sem minha mãe, primeiro três meses na França, depois seis no Japão. Teve seu preço”, descreveu Khodchenkova.

Depois de concluir a escola, Svetlana seguiu o conselho da mãe e ingressou no Instituto de Economia Mundial e Informatização em Moscou. Em seguida, matriculou-se na faculdade de publicidade da Academia Natalia Nesterova, mas logo percebeu que havia errado novamente na escolha da profissão. Relembrando o antigo sonho, ela enfim ingressou no Instituto de Teatro Boris Shchukin e, em 2003, estreou nas telonas com o melodrama militar “Bless the Woman” (Abençoe a Mulher, em tradução livre).

Khodchenkova deixando o Hotel Martinez  durante o 70º Festival de Cinema de Cannes, em 23 de maio de 2017

Depois de se formar, Svetlana começou a aparecer em filmes de drama e comédia russos, bem como em séries de TV, até estrear em Hollywood no thriller de espionagem de 2011 indicado ao Oscar "O espião que sabia demais”, ao lado de Gary Oldman, Colin Firth, Tom Hardy e Benedict Cumberbatch. No filme, Khodchenkova interpreta um papel menor como a oficial da inteligência soviética Irina, que se apaixona por um agente secreto britânico.

“Meu único receio era ser escalada como mais uma ‘loira russa’. Não sei por quê, mas os papéis para atores russos em Hollywood são muito unidimensionais: bandidos e prostitutas. Felizmente, meus temores eram infundados”, disse Khodchenkova sobre seu papel no filme.

Khodchenkova (esq.) como

Um ano depois, em 2013, encarnou a vilã Madame Hidra, ou Víbora, em “Wolverine: Imortal”, ao lado de Hugh Jackman. “Não faço ideia de por que foi escolhida para o papel”, disse ela na época. Mas Jackman chegou a dizer à GQ que a Rússia deveria se orgulhar de Svetlana.

“Ela é uma atriz incrivelmente talentosa. Não sei se vocês sabem, mas Svetlana também é uma espécie de mutante com um superpoder incrível: ela pode adormecer em qualquer lugar, a qualquer hora. Em intervalos de cinco minutos entre as tomadas, nas posições mais desconfortáveis, nas superfícies mais duras. Quando era acordada, ela logo se animava e fazia a cena de maneira que deixava todos sem fôlego”, brincou o ator à revista.

“Wolverine: Imortal”, com Hugh Jackman e Svetlana Khodchenkova

Desde então, Khodchenkova não participou de mais nenhuma produção em Hollywood, dedicando seu tempo a projetos russos. O mais notável deles foi um filme biográfico sobre o escritor Serguêi Dovlátov, aclamado pela crítica na Berlinale de 2018, e a série “O Caminho dos Tormentos”.

Além disso, a atriz esteve em várias peças e videoclipes, incluindo para a música “Ecstasy”, da banda de rock russa Leningrado.

Os hobbies de Svetlana incluem pole dancing e, desde 2018, costura. Ela se casou duas vezes: seu primeiro casamento, com o ator Vladímir Iaglitch, durou de 2005 a 2010; o segundo, com o empresário moscovita Gueorgui Petrichin em 2011, também terminou em divórcio, quatro anos depois.

No futuro, ela diz ter vontade de interpretar personagens complexos e mais negativos.

“Estou terrivelmente curiosa (...) É sempre muito mais interessante interpretar um personagem que está escondendo algo lá no fundo, uma espécie de buraco de minhoca interior, é fascinante cavar nisso, trabalhar nisso”, disse Svetlana.

Khodchenkova no desfile de Ulyana Sergeenko Primavera Verão 2019, na Paris Fashion Week, em Paris

O elenco completo de “Anna K” e a data de lançamento do filme serão anunciados em breve pela Netflix.

LEIA TAMBÉM: Nove atores de Hollywood que só podem ser russos disfarçados

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies