Os 10 principais escritores estrangeiros mais adorados pelos russos

United States Library of Congress, Bibliothèque nationale de France, Getty Images, Pixabay
Estes autores brilhantes eram extremamente populares entre os leitores soviéticos. E ainda permanecem como favoritos dos russos!

Assim como o resto do mundo, os russos são grandes fãs de Tolkien e J. K. Rowling. Além disso, os best-sellers das livrarias russas são bem parecidos com os do resto da Terra. Mas você ficará de queixo caído em saber que os seguintes autores estrangeiros são amados por diversas gerações de russos desde a infância:

1. Arthur Conan Doyle

Os russos são grandes fãs de livros policiais e adoram Agatha Christie. Mas Sherlock Holmes é o crème de la crème na Rússia. Aliás, a adaptação soviética de Sherlock Holmes para os cinemas foi celebrada até no Reino Unido por sua alta qualidade. O ator Vassíli Livanov, que interpretou Holmes, recebeu a Ordem do Império Britânico das mãos da rainha em pessoa.

O escritor russo contemporâneo Borís Akúnin escreveu uma série de histórias policiais no estilo do século 19. O protagonista delas, Erast Fandorin, lembra Sherlock Holmes e, portanto, não é surpresa que os livros de Akúnin também sejam best-sellers!

2. O'Henry

Um dos contos mais famosos de O. Henry na Rússia é “O Presente dos Magos”, enquanto três de seus romances - “Os Caminhos que Tomamos”, “Aproxima o mundo inteiro” e “O Resgate do Chefe Vermelho” foram adaptados por um dos diretores soviéticos mais importantes, Leoníd Gaidái, no filme “Dolovie liudi” (em tradução livre, “Homens de negócios”, 1961), que agora é um clássico da comédia na Rússia.

3. Erich Maria Remarque

Este escritor foi extremamente popular na URSS e continua sendo na Rússia, apesar de não ter ganhado uma adaptação popular para o cinema. Muitas famílias soviéticas tinham em casa a coleção completa dos romances de Remarque, e ainda hoje ele é um dos 10 autores mais vendidos da Rússia. Um de seus livros mais amados no país é “Três Camaradas” (que está em cartaz há mais de 20 anos no “Teatro Sovremênnik”, em Moscou).

4. Mark Twain

Você dificilmente encontrará uma criança russa que não tenha lido pelo menos um livro sobre as aventuras de Tom Sawyer e Huckleberry Finn. “O príncipe e o mendigo” fazia parte do currículo das escolas soviéticas, pois mostrava que status social não importa e o mais importante é a personalidade das pessoas, sua capacidade de dividir e sua bondade. Ambos os livros também foram adaptados para as telas em grandes produções soviéticas.

5. Lewis Carroll

“Alice no País das Maravilhas” foi traduzida para o russo muitas vezes, e uma das versões foi cunhada por Vladímir Nabôkov, grande fã de Carroll. Grandes escritores soviéticos de literatura infantil, como Samuil Marchak e Borís Zakhoder, fizeram suas próprias traduções de Caroll - e uma enxurrada de outras se seguiu. “Alice no País das Maravilhas” e “Através do Espelho” foram adaptados pelos estúdios de animação soviéticos e ganharam enorme popularidade (apesar de alterações na trama).

6. Alexandre Dumas

“Os Três Mosqueteiros” é, sem dúvidas, um dos favoritos das crianças soviéticas e russas. Elas costumavam fingir ser mosqueteiras, brigando pelo papel de d'Artagnan. Salvar damas e fazer atos heroicos era algo muito comum na tradição soviética na criação dos meninos.

Uma adaptação soviética do livro tornou-se icônica, colaborando muito com sua popularidade. O “Conde de Monte Cristo” também era bastante popular, mostrando exemplos de coragem, determinação e honra.

7. Victor Hugo

A popularidade do “Corcunda de Notre-Dame” chegou à Rússia muito antes do famoso musical. O povo soviético e os russos simpatizavam muito com Quasímodo e se preocupavam com o destino de Esmeralda.

Ainda mais popular na União Soviética foi “Os Miseráveis”, devido a suas ideias revolucionárias. O aniversário de 150 anos do romancista francês chegou a ser marcado em cartões postais soviéticos em 1952.

Trechos de “Os Miseráveis” intitulado “Gavroche” e “Cosette” foram publicados na URSS em edições separadas. Em 1937, “Gavroche” foi transformado em filme, mas o enredo era bastante diferente do original.

8. Júlio Verne

Qualquer criança russa se lembra perfeitamente de estar sentada na dátcha (casa de campo) sonhando com as incríveis jornadas que os personagens de Júlio Verne enfrentavam. Os romances mais populares do autor eram “Os filhos do capitão Grant”, “A Ilha Misteriosa” e “Vinte Mil Léguas Submarinas”. O último levou muitas crianças a sonhar ser engenheiras para construir seus próprios submarinos.

9. Jack London

Enquanto algumas crianças choravam sobre o destino do “Canino Branco” e tinham raiva de seu dono, outras estavam obcecadas com a história de amor e aventura de “Corações de Três”. Em 1991, a adaptação desse romance para as telas foi uma das últimas produções rodadas na URSS.

O resultado foi um enorme sucesso, com atores estelares da era soviética no elenco.

10. Charles Dickens

Os personagens miseráveis ​​e as tramas dolorosas sobre a vida na pobreza eram muito familiares para o leitor russo, que já conhecia essa realidade de Fiódor Dostoiévski. Pesquisadores de literatura russa acreditam até mesmo que o romancista russo tenha pegado emprestadas as tramas de Dickens.

Uma de suas obras mais lidas é “Oliver Twist”. Já “Os Cadernos de Pickwick” foi adaptada para as telas nos tempos soviéticos e encenado diversas vezes nos teatros de Moscou. Ter uma coleção de obras de Dickens na estante era o sonho de qualquer pessoa educada, já que era sinal de grande intelecto e sofisticação.

LEIA TAMBÉM: Jorge, bem amado pelos russos

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies