10 ocasiões em que a Rússia e os EUA iniciaram a Terceira Guerra Mundial (no cinema)

Por décadas, inúmeras pessoas ao redor do mundo foram para a cama sem saber se o mundo continuaria a existir no dia seguinte. Seus pesadelos costumavam ter a forma de um cogumelo atômico. Felizmente para os humanos, a Terceira Guerra Mundial se tornou apenas uma obsessão doentia – além de argumento para alimentar roteiros de filmes e mais filmes. Eis aqui alguns dos mais famosos.

“Dr. Fantástico”, ou “Como eu Aprendi a Parar de Me Preocupar e Amar a Bomba” (1964)

Nesta obra-prima de Kubrick, um militar norte-americano maluco está plenamente certo de que os comunistas planejam dominar o mundo. Para evitar isso, ele não consegue pensar em nada melhor do que bombardear a União Soviética. A ordem é logo cancelada, mas um dos bombardeiros norte-americanos B-52, que perdeu a comunicação por rádio, lança uma bomba nuclear em seu alvo.

“Limite de Segurança”(1964)

Durante a Guerra Fria, devido a um erro de computador, um esquadrão de bombardeiros norte-americanos é enviado para destruir Moscou. O presidente dos Estados Unidos (interpretado por Henry Fonda) tenta trazê-los de volta, mas um sistema de segurança sofisticado impede que o ataque seja abortado – por isso, o objetivo agora é convencer a União Soviética a não contra-atacar. Em uma medida desesperada, o presidente sugere sacrificar uma cidade nos Estados Unidos se os pilotos conseguirem realizar a missão mortal em Moscou.

“O Caso Bedford”(1965)

Durante uma missão na costa da Groenlândia, o destroier americano USS Bedford detecta um submarino soviético. O capitão decide brincar de gato e rato com os russos, mas não faz ideia de que isso trará consequências trágicas para os dois lados: consequências que explodem e deixam uma nuvem na forma de um cogumelo.

“A Terceira Guerra Mundial”(1982)

Embora o título deixe claro do que se trata este longa, as surpresas são muitas. Em 1987, paraquedistas soviéticos desembarcaram no Alasca para sabotar um oleoduto, em retaliação contra um embargo de grãos estabelecido contra a União Soviética pelos Estados Unidos. Um confronto eclode em uma estação de bombeamento, defendida pelo coronel Jake Caffey, e uma unidade de reconhecimento da Guarda Nacional. O perigo aumenta à medida que o então primeiro-ministro soviético e o presidente dos Estados Unidos começam a brincar de gato e rato. 

“Amanhecer Violento”(1984)

O pior pesadelo para muitos norte-americanos se torna realidade neste filme: russos, cubanos e nicaraguenses invadindo seu país (ou, pelo menos, uma cidade desconhecida do Colorado) e estabelecendo o comunismo. Rapidamente, um grupo de jovens sem treinamento militar e quase desarmado, porém dotado de grande espírito patriótico, consegue criar uma resistência contra os invasores armados até os dentes.

“Catástrofe Nuclear”(1984)

Este filme britânico em estilo documental retrata um holocausto nuclear em meio a uma guerra entre os EUA e a URSS, suas consequências sobre a classe trabalhadora de Sheffield (Reino Unido) e os efeitos a longo prazo da guerra nuclear.

Em “Catástrofe Nuclear”, a guerra eclode com o aumento de tensões entre EUA e URSS, após um golpe de Estado no Irã que produz uma intervenção militar soviética. Confrontos no Golfo Pérsico acabam com o naufrágio de um submarino e um porta-aviões norte-americano. Os Estados Unidos bloqueiam Cuba, e o Reino Unido envia tropas para Berlim Ocidental. Logo, os mísseis nucleares estavam nos ares.

Alguns críticos consideram esse longa como o “filme que mais se aproxima à realidade ao representar o horror total da guerra nuclear e suas consequências, bem como o impacto catastrófico que o evento teria sobre a cultura humana”.

“Amerika”(1987)

A guerra foi declarada, e os Estados Unidos saíram derrotados. A União Soviética ocupa o país depois da rendição, criando campos de trabalhos forçados para alguns cidadãos, enquanto, ao mesmo tempo, estabelece sua própria estrutura colaboracionista. Como não poderia faltar em um filme assim, um corajoso homem barbudo (Kris Kristofferson) cria forças rebeldes e inicia o contra-ataque.

“Operação Nuclear”(1990)

A tripulação de um bombardeiro nuclear ataca a URSS. O presidente dos Estados Unidos tenta desesperadamente recuperar o controle de seu Exército, depois que seu helicóptero cai durante um intercâmbio nuclear limitado. Parece a continuação de “Dr. Fantástico”, mas sem o humor ácido ou o talento de Kubrick. 

“A Soma de Todos os Medos”(2002)

Neste filme da saga aventureira de Jack Ryan, um general russo rebelde ordena que os pilotos de uma base aérea ataquem com seus Tu-22M o porta-aviões americano USS John C. Stennis (CVN-74) no mar do Norte. O ataque russo é bem-sucedido e, em resposta, o presidente dos Estados Unidos, Fowler, envia caças-bombardeiros F-16, da Força Aérea dos Estados Unidos, para atacar a base aérea russa de onde os aviões decolaram. Por sorte, ali está Jack Ryan, que chega para cessar o ataque.

“Amanhecer Violento”(2012)

Remake do filme de 1984, que retrata uma invasão dos EUA pelas tropas soviéticas. Na nova versão, os soviéticos são substituídos pelos norte-coreanos – isto é, até descobrirmos que os agressores são apoiados pela Rússia ultranacionalista. Os norte- americanos terão então que neutralizar uma unidade de spetsnaz (forças especiais) russa implantada em seu território nacional. Desta vez, não há extermínio nuclear.

VEJA TAMBÉM: Por que os russos não confiam nos Estados Unidos? (e vice-versa) 

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies