5 filmes imperdíveis do icônico diretor soviético Geórgui Danélia

Vladimir Astapkovich/TASS
Morto nesta quarta-feira (4) aos 88 anos, Gueórgui Danélia foi responsável por alguns dos filmes mais amados da Rússia.

“Mimino” (1977), “Kin-dza-dza” (1986), “Gentlemeni udátchi” (em tradução livre, “Homens de sorte”, de 1971) são apenas alguns dos títulos que arrebataram a União Soviética dirigidos por Gueórgui Danélia. O cineasta, nascido na Geórgia, foi diretor em mais de 25 grandes títulos, na maioria dos quais também trabalhou como roteirista.

Seu último trabalho no cinema foi com “Ku! Kin-dza-dza” (2013), uma animação baseada em seu roteiro para o filme “Kin-dza-dza” de 1986.

Nesta quinta-feira, 4 de abril de2019, Danélia morreu aos 88 anos. Se você ainda não tinha visto as obras dele, é hora de começar!

  1. ‘24 horas em Moscou’ (1964)
Cena de

Um jovem que trabalha na construção do metrô de Moscou mostra a capital para um escritor recém-chegado Sibéria. E, claro, os dois vivem aventuras, amores e se encantam com as belezas da cidade.

Na realidade, o filme nasceu de uma cena criada pelo roteirista e aprimorada por Danélia: uma moça anda por uma bela Moscou chuvosa, enquanto um rapaz a acompanha de bicicleta.

A música-tema da trilha sonora, “Eu ando por Moscou”, teve quase tanta popularidade quanto o filme em si, e é uma das mais pedidas até hoje na Rússia.

O assunto principal é o “degelo” de Khruschov, a construção de arranha-céus e as grandes esperanças da época. Esta foi o filme de estreia do jovem ator Nikita Mikhalkóv, que mais tarde venceria o Oscar como diretor.

O título foi teve Menção Especial do Júri de Cannes em 1964.

  1. ‘Homens de sorte’ (1971)

Em “Gentlemeni udátchi” (em tradução livre, “Homens de sorte”), um professor do jardim de infância é a cópia cuspida de um gângster perigoso. Assim, a polícia pede a ajuda dele para investigar o roubo de uma coroa de ouro de Alexandre, o Grande.

Mas, para fazê-lo, o educado professor deve se infiltrar em uma gangue criminosa e até mesmo organizar uma fuga de presos.

A atuação brilhante e um roteiro de arrepiar os cabelos escrito por Danélia junto com a jovem Viktória Tokareva, que depois se tornaria uma escritora famosa, fizeram deste filme um sucesso de bilheteria.

O título tornou-se um dos favoritos d os russos, e é um daqueles clássicos das telinhas na véspera de Ano Novo, junto com “Ironia do destino”.

3. ‘Afônia’, 1975

O encanador pobre e solitário Afônia (o filme também é grafado como “Afonya”) é um péssimo trabalhador e alcoólatra em tempo integral. Ele é repreendido pela chefia e ameaçado de demissão, mas nada parece funcionar. Só uma desconhecida que cruza seu caminho, Kátia, acredita que ele pode mudar...

Esta comédia sobre um homem simples conquistou os corações e mentes dos espectadores com seus tipos, conhecidos dos russos, e diálogos afiados. Como diretor Danélia criou truques de cena que viraram verdadeiros memes soviéticos (como uma dama que tenta flertar com o personagem principal com uma dança hilariante).

4. ‘Mimino’ (1978)

Um homem georgiano de apelido Mimino trabalha como piloto de uma companhia aérea local, mas sonha em voar ao redor do mundo e, ao mesmo tempo, conquistar o coração de uma linda comissária de bordo. Após realizar o sonho, ele começa a ansiar à terra natal...

O charme e tempero da Geórgia Soviética conquistaram toda a URSS com os panoramas impressionantes, figuras locais e a música “Chito Gvrito Cheto Margalitov”, que é cantarolada Rússia afora até hoje.

Danélia finalmente retoma suas raízes georgianas e filma um hino a suas montanhas nativas, às aldeias e ao caráter nacional ingênuo, embora hospitaleiro. Danélia dirigiu este título, enquanto Viktória Tokareva e Rezo Gabriadze, um renomado diretor de marionetes da Geórgia, foram seus coautores no roteiro.

  1. ‘Kin-dza-dza’ (1986)

Os amantes de “Mad Max” e a primeira trilogia de “Star Wars” ficarão intrigados com este filme de retrofuturismo. Foi um tipo de revolução para a URSS dos anos 1980: dois conhecidos se encontram em outra galáxia, onde encontram alienígenas que, por acaso, têm uma nave espacial.

Querendo retornar à Terra, a dupla vive todo tipo de aventuras. A única coisa a favor deles é que eles têm fósforos, que nesta galáxia valem ouro!

Reza a lenda que esta obra foi inspirada no diretor italiano Tonino Guerra, que teria pedido a Danélia para filmar um conto de fadas para que as pessoas se aquecessem durante os longos invernos russos.

Aliás, a base literária do roteiro era “A ilha do tesouro”, de Robert Louis Stevenson, que Danélia e seu co-roteirista Gabriadze transportaram para um planeta fantástico.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies