Fotos registram tradicional artesanato nas montanhas do Daguestão; confira

Embora com menos frequência, técnicas milenares ainda são passadas de pai para filho. Associação regional reúne profissionais com diferentes habilidades manuais.

Nas várias aldeias das altas montanhas do Daguestão, encontram-se segredos familiares das técnicas de cerâmica, prataria, gravura, douramento e entalhe ainda transmitidos de geração em geração. Cada cidade tem sua especialidade.  

Esta é a cidade de Kubatchi, um dos mais famosos centros tradicionais de produção de joias de prata, pedra e madeira talhadas no Cáucaso.

Este povoado tem uma história rica e já era citado nas crônicas persas do século 4 sob o nome zerikhgueran (guerreiros); Kubatchi é derivado de uma tradução turca. Os armeiros trabalham nesse cidade desde os tempos antigos, forjando cotas de malha, espadas e sabres de diferentes formas e tamanhos.

Reza a lenda que o capacete de Alexandre, o Grande teria sido fabricado por artesãos de Kubatchi, bem como a coleção de armas brancas dada por Aleksandr 3º à rainha Vitória.

Na época soviética, os itens feitos por artesãos de Kubatchi eram geralmente oferecidos a pessoas em posição de poder como presentes extravagantes.

Por exemplo, hoje em dia, no museu da cidade há um vaso todo trabalhado que havia sido presenteado a Stálin. Depois que o líder foi destronado, o objeto retornou à vila onde fora feito.

Atualmente, porém, sobraram apenas vestígios dessa produção. As cotas de malha, obviamente, não são mais produzidos. E, mesmo que seja feita uma espada, não é mais igual a uma arma.

De um modo geral, os locais produzem utensílios domésticos chiques, arreios para equitação e uma grande quantidade de joias para mulheres.

Paralelamente à empresa pública, comprometida com a produção, muitos artesãos particulares trabalham na cidade. É por isso que vale a pena ver por si mesmo como são feitas bandejas de prata ou uma joia feminina do início ao fim.

As pulseiras, por exemplo, são decoradas com tinta dourada e filigrana.

Como a cidade é pequena, todos os moradores locais se conhecem. É possível ter uma ideia do que os artesãos produzem hoje na cidade são suas especialidades.

Entre eles, há alguns capazes de assumir qualquer trabalho – mas são poucos e distantes entre si.

O mais frequente é um artesão se especializar apenas em um tipo específico de trabalho. Por exemplo, a prata precisa ser derretida para processamento posterior. Apenas algumas pessoas em determinadas aldeias são capazes de fazer isso.

A Associação Artística de Kubatchi já foi reconhecida em todo o país e até mesmo além das fronteiras russas.

Os artesãos continuam trabalhando na Associação local, embora não na mesma escala de antes. Uma coleção única de objetos fabricados ao longo de vários anos pelos membros é mantida na região e vale a pena uma visita.

Alguns deles foram produzidos em série, enquanto outros, para um propósito específico. Seja como for, ao ver os exemplares diante dos olhos, os visitantes se surpreendem com a técnica de artesãos que trabalham apenas com madeira e prata.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies