8 estrelas da música russa fazendo sucesso mundo afora

Nascida e criada na URSS, Helene Fischer é adorada na Alemanha - e não é a única artista famosa com raízes russas!

Nascida e criada na URSS, Helene Fischer é adorada na Alemanha - e não é a única artista famosa com raízes russas!

Felix Hörhager/Global Look Press
Do clássico ao punk, passando por música eletrônica, do filho de um famoso escritor dissidente a um DJ que faz a própria produção, Rússia produziu muitos músicos que esbanjam sucesso e talento por todo o mundo, enriquecendo a cultura global com influências eslavas únicas. O Russia Beyond compilou uma lista com os principais deles.
  1. Regina Spektor
Regina Spektor.

"Sou mulher, judia, russa, nova-iorquina, americana ... tudo junto e misturado, uma pessoa não pode se dividir", declarou a cantora e compositora norte-americana Regina Spektor durante uma entrevista em Moscou em 2012.

Ela deixou a capital russa quando os pais emigraram para os EUA em 1989, quando Spektor tinha apenas nove anos de idade.

Mas a cantora ainda lembra das origens e fala russo fluentemente.

Em uma de suas mais graciosas e emocionantes canções, ao som do piano, Regina cita o poema “Fevereiro”, do vencedor do Nobel Borís Pasternak (1890-1960), e canta em russo no meio da música. Pura beleza.

  1. Gogol Bordello
Eugene Hütz, do Gogol Bordello, apresenta-se em um palco.

Esta banda punk cigana super cheia de energia foi formada em 1999 por Eugene Hütz, que nasceu na URSS em 1972.

A música do Gogol Bordello abrange diferentes tipos de música étnica, tão múltipla quanto as nacionalidades dos próprios músicos, que são imigrantes de tudo que é lugar: Equador, Etiópia e China.

Há dois membros da Rússia também: Serguêi Riabtsev (violino) e Borís Pelekh (violão). Hütz, que é ucraniano, também está familiarizado com a cultura russa e é fluente na língua.

Ele insere frases em russo nas letras de tempos em tempos, então a sintonia russa pode, com certeza, ser checada na música desta orquestra punk internacional.

  1. Ignat Solzhenitsyn

Mais um bilíngue proveniente da URSS, Ignat Soljenitsin é o filho do meio de Aleksandr Soljenitsin, o proeminente escritor dissidente soviético que não poupou esforços para denunciar o sistema repressivo soviético.

Em 1974, o escritor foi forçado a deixar o país, partindo para os EUA com o filho Ignat, que então tinha dois anos de idade.

"Fui criado como russo, com amor pela Rússia", diz Ignat. Mas ele também ama os EUA e desfruta de uma impressionante carreira musical por lá.

Maestro e pianista, Soljenitsin agora acumula os cargos de regente da Orquestra de Câmara da Filadélfia e regente-convidado principal da Orquestra Sinfônica de Moscou.

  1. Jenia Lubich
Jenia Lubich.

Cantora proveniente de São Petersburgo, Jenia Lubich trabalha principalmente na Rússia, ao contrário de muitos nesta lista.

Mas ela também gozou de sucesso no Ocidente depois de sua colaboração como uma das cantoras da banda francesa Nouvelle Vague.

Na verdade, só depois de cantar com o Nouvelle Vague é que Lubich fez sucesso na Rússia.

Ela também escreveu e gravou “Russian Girl”, uma das mais delicadas e irônicas leituras da misteriosa alma russa.

  1. Helene Fischer
Helene Fischer.

Os pais de Helene Fischer tinham origens russo-germânicas e seus ancestrais foram enviados à Sibéria por Stálin durante a Segunda Guerra Mundial, mas foram repatriados na Alemanha no final da década de 1980.

Hoje uma das cantoras alemãs de maior sucesso, Helene, de 33 anos, tem oito álbuns de platina, centenas de milhares de fãs em todo o mundo germanófono.

Mas a cantora não esquece que nasceu como Elena Petrovna Fischer na remota cidade siberiana de Krasnoiarsk (4.100 km a leste de Moscou). A prova está neste vídeo, em que Fischer toca músicas nacionais russas e ucranianas quase sem sotaque!

6. Alina Ibragimova

 Alina Ibragimova.

A violinista russo-britânica Alina Ibragimova vem de uma família muito musical. Em 1996, quando a menina tinha 10 anos, seu pai assumiu o cargo de contrabaixo principal da London Symphony Orchestra, e a família se mudou para a Grã-Bretanha, onde ela continuou os estudos de violino.

 Desde o início dos anos 2000, ela é uma musicista de sucesso e conquistou diversos prêmios, entre eles o Royal Artist Award, da Young Philharmonic Society, em 2010, e o Emily Anderson Prize.

“Toco música de todas as épocas, dos tempos antigos aos contemporâneos, do barroco ao avant-garde”, diz ela, que se apresenta por todo o lado, de Londres a pequenas cidades nas províncias russas.

7. DJ Vadim

DJ Vadim.

Este DJ, que mistura hip-hop, reggae, soul e música eletrônica, tem um nome que fala por si. Batizado Vadim Peare em São Petersburgo, ele se mudou para Londres com a família quando ainda era criança.

"Ele fez apresentações com todo mundo, de Stevie Wonder ao Dilated Peoples", lê-se em matéria sobre Vadim. Um dos DJs e produtores mais bem-sucedidos da indústria, o DJ se vê como um cidadão do mundo e escreve música de maneira implacável.

  1. Paul Landers, do Rammstein
Paul Landers.

Tecnicamente, Paul Landers, guitarrista do Rammstein, não é russo. Ele nasceu na Alemanha Oriental, como todos os membros da banda alemã, que tem uma popularidade sem precedentes.

Quando criança, porém, ele passou um ano em Moscou estudando russo na embaixada da República Democrática da Alemanhã (Alemanha Oriental) e ainda conhece bem a língua - provando isso em suas entrevistas.

Como a maioria dos alemães orientais, os membros do Rammstein estão bastante familiarizados com a cultura russa e têm até uma música, “Moskau”, na qual o refrão (cantado em russo!) fala dos pioneiros que “estão marchando e saudando Lênin”. Não dá para ser mais russo que isso!

Gostou? Então leia “8 estrelas do rock russo que morreram antes da hora”.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais