“Matilda”: 5 motivos para ver o filme russo mais polêmico do ano

Longa do aclamado diretor Aleksêi Utchitel sobre romance entre último tsar e famosa bailarina reabriu feridas e dividiu opiniões na Rússia. Brasileiros, porém, terão de esperar, já que filme ainda não tem previsão de estreia no país.

1. Polêmica e protestos

De um lado, fiéis ortodoxos conservadores, liderados por Natália Poklonskaia, ex-procuradora da Crimeia e atual deputada na Duma de Estado (câmara dos deputados na Rússia), fizeram diversos apelos junto à sociedade e ao governo para a proibição do longa em território nacional. Do outro, liberais alegaram que a ideia de proibir o filme violava a liberdade de expressão e, portanto, deveria ser rejeitada.

Se você quiser assistir a um filme que instigou manifestantes a lançar coquetéis Molotov contra o estúdio do diretor em São Petersburgo, que levou um manifestante a invadir com seu carro um cinema de Iekaterinburgo, que estimulou centenas de pessoas a saírem às ruas para protestar em várias cidades, que enfrentou a resistência de canais de TV em promovê-lo, assim como cadeias de cinema se recusaram a exibi-lo em suas salas, então, você não deve perder “Matilda” por nada.

2. Romance profano

O tsar Nicolau 2º e sua família foram canonizados pela Igreja Ortodoxa Russa como mártires devido a sua execução pelos bolcheviques em Iekaterinburgo em 1918. O filme, porém, apresenta um Nicolau menos santo como o jovem Crown Prince antes de subir ao trono russo. Essa é a história de amor de Nicolau e a prima ballerina polonesa Matilda Kschessinska. Embora os documentos históricos oficiais não esclareçam a verdadeira natureza do relacionamento – fosse uma amizade platônica ou um romance tórrido –, Aleksêi Utchitel certamente escolheu a última versão. Os fiéis ortodoxos, entretanto, ficaram exaltados com tal interpretação dos fatos. 

3. Vida privada da realeza

Segundo a tradição russa, a vida particular dos governantes deve permanecer à parte da população. Em seu filme, porém, Utchitel apresenta Nicolau e sua família como vulneráveis, indecisos e, por vezes, muito descontentes com suas obrigações oficiais.

Em vários momentos, Nicolau expressa, inclusive, o desejo de abdicar do trono para ficar com Matilda, mas não tem força suficiente para fazê-lo. Nicolau chorando de joelhos por causa da morte de milhares de pessoas esmagadas em um stampede durante sua cerimônia de coroação é uma das cenas mais poderosas e significativas.

4. Viagem por marcos arquitetônicos

Embora o roteiro apresente falhas, o filme retrata uma bela história de amor, repleta de roupas e vestidos elegantes. Além disso, foi rodado em locações históricas dentro e nos arredores de São Petersburgo, incluindo o Teatro Mariinsky, a residência de verão da família imperial em Tsárskoie Selô, e os palácios Peterhof, Yusupov e Yelagin. Além disso, o longa é uma excelente oportunidade para fazer um tour virtual por alguns dos edifícios históricos mais bonitos da Rússia.

5. Amor, mas também cultura

Embora o filme o filme possa ser analisado como um lavish melodrama de época sobre o amor proibido entre um príncipe e uma bailarina glamorosa, também serve de inspiração para se familiarizar com a história e a cultura da Rússia. Após vê-lo, é provável que o longa aprofunde sua admiração e apreço pela história e cultura russas.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies