Tecnologia esquecida: assim era o protótipo do caça soviético ‘Anaconda’

Anaconda

Anaconda

Struggle Daddy with teenage mutant daughter/YouTube
Interceptador supersônico com mísseis controlados por radar era promessa contra os EUA, mas não vingou nos testes.

Na década de 1950, chegou-se à conclusão de que os interceptadores Yak-25, aeronaves subsônicas com um teto de cerca de 15.000 e armamento de canhões, eram incapazes de dar conta dos novos bombardeiros a jato dos EUA. Uma forma de resolver esse problema foi criar um interceptador supersônico com mísseis controlados por radar.

Yak-25 exposto no museu de aviação de Monino

Esses novos caças deveriam ser integrados, como destaca o site Airwar.ru, em todo um sistema de defesa aérea criado para defender Moscou - chamado de ‘Berkut’. Além de desenvolver sistemas de mísseis antiaéreos com uma ampla rede de estações de detecção por radar, esse escudo previa também um componente aéreo: um sistema de interceptação aérea. O mais importante deveria ser um míssil guiado ar-ar, cujo projeto começou com o OKB-301 em 1950, sob a designação de G-300, e que deveria ser transportado por caças.

S-25 para a defesa aérea de Moscou. Museu Kapustin Iar, em Znamensk

O “250” de Lavotchkin foi projetado para atacar com mísseis guiados alvos voando em altitudes de até 20.000 metros a uma velocidade de 1.250 km/h a distâncias de até 500 km do aeródromo. Entre os requisitos táticos e técnicos da Força Aérea estava a interceptação de um único bombardeiro inimigo em modo automático ou semiautomático.

Em novembro de 1952, começou a ser desenvolvido o Kompleks 15 (K15), que mais tarde seria renomeado para La-250/ A intenção era transportar 2 mísseis guiados K-15, que pesavam 800 kg, atingiam uma velocidade de 3.900 km/h e tiveram uma subida de 50 m/s.

Os problemas com o radar K15U e com os motores Klimov VK-9 fizeram com que a aeronave fosse reprojetada com um radar K15M de qualidade inferior e com os motores Liulka AL-7, de menor potência. O primeiro protótipo foi testado em 16 de junho de 1956, e outros quatro foram construídos. Nos voos de teste ocorreram acidentes devido à pouca visibilidade do avião, falhas no sistema hidráulico e problemas com o trem de pouso. Os resultados decepcionantes fizeram com que os trabalhos do projeto K15 fossem suspensos em 1959.

LEIA TAMBÉM: Rússia revela primeiro robô para operações militares em solo e missões em outros planetas

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies