Vídeo reúne reabastecimentos em voo mais ousados de caças e bombardeiros russos; confira

Imagens foram divulgadas em homenagem aos 80 anos do Regimento de Reabastecimento de Aeronaves da Guarda.

Um vídeo com imagens espetaculares de caças e bombardeiros reabastecendo no ar foi publicado esta semana por ocasião do aniversário do 203º Regimento de Reabastecimento de Aeronaves da Guarda, o único das Forças Aéreas Russas.

“O que vocês podem ver agora não foi visto por 99% dos habitantes do planeta, nem por 90% da tripulação. É um espetáculo que só as tripulações dos aviões-tanque e dos aviões de ataque podem ver”, explica na publicação o canal do YouTube Fighterbomber, que se descreve como “crônicas de um caça-bombardeiro aposentado”.

Como pode ser visto nas imagens, durante o reabastecimento, não se pode perder tempo: essas operações realizadas a uma altitude de 5.000 metros e velocidade de 500 km/h exigem precisão e perfeita coordenação das duas tripulações, do avião-tanque e da aeronave que recebe o combustível. Depois que é feita a conexão, a aeronave deve se manter na mesma velocidade, angulação e altitude do tanque até o fim do reabastecimento.

Quando o procedimento é concluído, os caças e bombardeiros costumam agradecer à tripulação do Il-78 com acrobacias ousadas.

Na última terça-feira (10), o 203º Regimento Aéreo comemorou seu 80º aniversário. Formado no início da Grande Guerra Patriótica como um regimento de bombardeiros de longo alcance, este corpo aéreo iniciou a carreira operacional bombardeando Berlim, participou das batalhas de Kursk e Stalingrado (em Kursk o regimento usou a bomba FAB-5000, a mais poderosa na época), e mais tarde ajudou a libertar Leningrado sitiada e a invadir Kaliningrado. Seus guardas lutaram no Afeganistão e são indispensáveis ​​nos desfiles aéreos em homenagem ao Dia da Vitória. O regimento está baseado perto de Riazan, na base aérea de Diáguilevo.

LEIA TAMBÉM: Os 5 melhores aviões russos de todos os tempos

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies