Rússia desenvolve novos drones especiais para uso no Ártico

Radar MMS
Veículos não tripulados poderão transportar centenas de quilos de carga e salvar afogados das águas frias do oceano Atlântico.

Em junho de 2021, a empresa russa Radar MMS apresentou dois novos drones desenvolvidos especialmente para uso no Ártico. O primeiro deles é um drone de carga que pode transportar centenas de quilos e o segundo, um drone capaz de salvar náufragos ou vítimas de acidentes com helicópteros sobrevoando as gélidas águas locais.

Ambos os veículos não tripulados são projetados para funcionar em temperaturas entre 45 graus Celsius positivos  e 70 graus Celsius negativos. Eles serão destinados à região ártica da Rússia.

Drone de carga

Segundo o diretor-executivo da empresa Radar MMS, Ivan Antsev, o mercado de entrega de cargas em regiões de difícil acesso está a pleno vapor. Há locais em que o transporte rodoviário leva quatro ou cinco horas, mas que podem ser acessado por um drone em apenas 10 ou 15 minutos.

De acordo com Antsev, a duração máxima do voo do novo helicóptero-drone é de cerca de 4 horas a uma velocidade de 120 km/h. O drone tem visão sintética, ou seja, ele pode estudar a paisagem e evitar todos os tipos de obstáculos.

“Junto com o [maior banco estatal da Rússia] Sberbank, concluímos um projeto-piloto para a entrega de documentos e dinheiro nas regiões de Samara e Tcheliábinsk. Instalamos contêineres especiais selados com carga valiosa em drones e enviamos a um ponto específico. Ali eles são recebidos por um especialista que descarrega o contêiner e em seguida o drone volta à base”, explica Antsev.

A rota do drone muda toda vez e a altitude de voo é grande, evitando qualquer interceptação vinda do solo. Segundo Antsev é impossível ver ou ouvir o drone, a uma altitude de 500 metros — o limite de altura do voo é de 4 mil metros.

Hoje, são usados para logística operacional em regiões de difícil acesso helicópteros com tripulação humana. Para efeito de comparação, uma hora de voo do helicóptero Mi-8 na região custa cerca de 100 mil rublos (quase US$ 1.385). O valor inclui manutenção, salário do piloto e combustível, independentemente da carga útil da aeronave.

O custo de uma hora de voo de drone varia entre 5 mil e 30 mil rublos (US$ 69 e US$ 415), dependendo do modelo.

O drone desenvolvido pela empresa Radar MMS poderá se tornar um concorrente direto dos drones usados pela Amazon, DHL e Google.

“Estamos seguindo os americanos e os chineses nesse setor. A China já faz entregas de cargas não tripuladas a longas distâncias, de até 2 mil quilômetros”, explica o analista militar russo Dmítri Safonov. 

Drone de resgate

O outro veículo não tripulado apresentado pela empresa para uso no Ártico é o drone de busca e resgate Aurora, que pode localizar pessoas na água e abrir um bote salva-vidas.

“Ele é um robô com inteligência artificial que pode localizar pessoas no mar com sua visão especial", explica Antsev. Segundo ele, a tecnologia não tem análogos estrangeiros.

Um helicóptero não tripulado leva o Aurora até o local do naufrágio e baixa o veículo flutuante para a superfície de água, onde o Aurora busca as pessoas de forma independente.

LEIA TAMBÉM: O que pode acontecer se o permafrost derreter?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies