Exército inicia testes com novo sistema de lança-chamas pesado

ТОС-2 Тосочка

ТОС-2 Тосочка

Vitaly V. Kuzmin/vitalykuzmin.net
TOS-2 Tosochka poderá eliminar terroristas nos túneis e cavernas mais profundos.

O exército russo iniciou os testes militares do novo sistema de lança-chamas pesado TOS-2 Tosochka, um complexo armado com projéteis termobáricos projetados para incendiar e destruir edifícios, fortificações e veículos levemente blindados.

"O TOS lança mísseis com projéteis termobáricos e, no momento da colisão do míssil com o solo, surge uma nuvem de substância combustível que explode", explicou uma fonte no complexo militar-industrial que não quis ser identificada.

Segundo a fonte, os sistemas de lança-chamas pesados soviéticos foram ativamente usados na Síria para eliminar militantes nos túneis e cavernas. "O gás penetra nos lugares mais inacessíveis. Essas armas provaram ser muito eficazes nos conflitos no Oriente Médio. Os projéteis termobáricos não são proibidos pela convenção do uso de armas químicas", disse.

Segundo analistas militares, o TOS-2 é uma modernização dos sistemas de lança-chamas pesados anteriores TOS-1 "Buratino" e TOS-1A "Solntepek", desenvolvidos em 1988.

A principal diferença do TOS-2 é seu chassi com rodas "Taifun", que substituiu o chassi com lagartas do tanque T-72. Assim, os projetistas conseguiram aumentar a manobrabilidade do veículo e reduziram seu custo de produção, em comparação com o veículo baseado em um tanque.

"Isto permitirá usar a tática ‘hit and run’, ou seja, um ataque rápido seguido por uma rápida retirada da posição", explica Vadim Koziulin, professor da Academia de Ciências Militares.

De acordo com ele, embora os veículos baseados em tanques sejam mais bem protegidos, eles são muito mais lentos e desajeitados. "Assim, os TOS das gerações anteriores serão usados na linha de frente, enquanto os TOS-2 realizarão operações rápidas", disse.

As características táticas e técnicas exatas do TOS-2 são desconhecidas e estarão disponíveis apenas após os testes militares. Segundo Koziulin, os projetistas deverão criar novos projéteis de alta precisão para o novo sistema, substituindo as munições atuais.

"O TOS da segunda geração receberá novas munições e novos sistemas de proteção radioeletrônica para esconder os veículos dos sistemas de orientação inimigos", explica.

O TOS-1A da geração anterior tem um lançador com 18 trilhos que permite lançar mísseis reativos. O novo modelo poderá, possivelmente, lançar o mesmo número de mísseis com projéteis termobáricos, mas receberá um moderno sistema de controle de fogo automatizado.

"Outra diferença entre o TOS-2 e os veículos da geração anterior é o novo sistema de recarga de munições. Anteriormente, um veículo de transporte sempre estava perto do TOS, mas, agora, o TOS-2 terá o seu próprio manipulador para a recarga", explica Koziulin.

Especialistas militares entrevistados pelo RussiaBeyond afirmam que o TOS-2 fará parte das Tropas de Proteção Nuclear, Biológica e Química. "O TOS-2 não substituirá os sistemas de lança-chamas existentes, ele tem funções novas devido a chassis diferentes e apenas expandirá a linha de sistemas de lança-chamas pesados e será uma nova arma manobrável no campo de batalha", completou Koziulin.

LEIA TAMBÉM: Os 3 trens de batalha mais temíveis da Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies