Quebra-gelo nuclear mais poderoso do mundo é colocado em funcionamento na Rússia

 Quebra-gelo de propulsão nuclear "Arktika"

Quebra-gelo de propulsão nuclear "Arktika"

Rosatom/Global Look Press
Nova embarcação de propulsão nuclear do Projeto 22220 terá autonomia fora de série, já que seu combustível pode passar anos sem ser reabastecido.

Em 21 de outubro de 2020, no porto de Murmansk, no norte da Rússia, o diretor-geral da fábrica de navios nucleares civis Atomflot, Mustafa Kachka, e o diretor dos Estaleiros do Báltico, Aleksei Kadilov, assinaram o certificado de entrega do novo quebra-gelo de propulsão nuclear "Arktika". A cerimônia contou com a presença do premiê russo Mikhail Michústin.

Com 173,3 metros de comprimento e 34 metros de largura, o "Arktika" tem deslocamento de 33,5 mil toneladas. O quebra-gelo já passou por todos os testes, navegando cerca de 4.800 milhas náuticas. Durante a verificação dos sistemas e equipamentos no gelo, a embarcação chegou ao Pólo Norte geográfico.

O "Arktika" será o navio líder do Projeto 22220, que reúne os quebra-gelos nucleares mais poderosos da Rússia. A embarcação poderá destruir gelos de até 3 metros de espessura no Oceano Ártico, abrindo caminho para navios mercantes de todo o mundo.

VEJA TAMBÉM: Estes navios soviéticos quebraram toneladas de gelo… e um monte de recordes

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies