5 caças soviéticos que defenderam a República Democrática Alemã; veja fotos

Domínio público
A Força Aérea do Exército Nacional da República Democrática Alemã foi fundada em 1956, 11 anos após a queda do Terceiro Reich e somente após a entrada da RDA no Pacto de Varsóvia. Quase todos os aviões da formação militar ali vinham da URSS e de outros países do bloco socialista.

A Força Aérea da Alemanha Oriental foi batizada de Luftstreitkräfte devido ao corpo de aviação do Império Alemão, que tinha dado esse nome a sua Força Aérea, entre 1910 e 1918. Já a República Federal da Alemanha manteve o nome Lufwaffe, usado pela Alemanha nazista entre 1935 e 1945.

MiG-17

A Luftstreitkräfte era bastante especial entre os países do Pacto de Varsóvia, porque era equipada com os aviões mais avançados da época. Um dos primeiros caças soviéticos enviados à RDA foi o famoso Mig-17 supersônico.

Os caças Lim-5 (MiG-17 de fabricação polonesa) ficaram localizados na base Drewitz até agosto de 1990. Hoje, eles estão no Museu Cottbus, na Alemanha.

MiG-21

Além dos caças MiG-17, os céus sobre a Alemanha Oriental foram defendidos por mais de 200 caças MiG-21, que foram enviados à região a partir de 1962. Uma característica distintiva do supersônico mais produzido no mundo é seu baixo custo: a versão para exportação era mais barata que um veículo de combate de infantaria BMP-1.

Na Otan, o MiG-21 ganhou o estranho nome de “Fishbed”, em alusão à camada geológica rica em fósseis de peixe. Já os pilotos soviéticos chamavam-no de “balalaika” (o tradicional instrumento de cordas russo), devido a suas asas triangulares.

MiG-23

Estes aviões foram considerados a elite da Força Aérea do Bloco Leste. A RDA recebeu mais de 40 versões mais avançadas dessas aeronaves, que podiam lançar tanto mísseis Vympel R-60 / AA-8 Aphi de curto alcance, como mísseis Vympel R-23 / AA-7 Apex de médio alcance guiados por radar.

Após a reunificação da Alemanha, os MiG-23 da República Democrática se tornaram parte da Luftwaffe.

Su-22

Mais de 50 caças-bombardeiros Sukhoi-22 melhoraram a capacidade de ataque terrestre da Alemanha Oriental contra a Otan.

Todos os Su-22M-4s ainda estavam em uso pela Alemanha Oriental em Laage até 1989. Após a reunificação da Alemanha, em 1990, o Su-22, porém, eles não foram incorporados à Luftwaffe.

MiG-29

A Alemanha Oriental recebeu 24 MiG-29, que foram colocados em uso entre 1988 e 1989 na esquadra JG3 "Wladimir Komarow",  em Preschen, Brandenburg. Após a queda do Muro de Berlim, em novembro de 1989, essas aeronaves foram integradas na Luftwaffe da Alemanha Ocidental.

Em setembro de 2003, a Força Aérea Polonesa comprou 22 desses caças pelo preço simbólico de um euro por unidade.

LEIA TAMBÉM: Cinco caças soviéticos (ainda!) em uso na América Latina

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies