Qual bomba é mais forte: a StormBreaker norte-americana ou a Drel russa?

A bomba Drel

A bomba Drel

Dmitry Reshetnikov/TASS
Estados Unidos e Rússia iniciam vendas de duas novas bombas de alta tecnologia no mercado internacional. O Russia Beyond comparou seus prós e contras.

Os Estados Unidos finalizaram os testes da nova bomba aérea GBU-53/B StormBreaker, parte do sistema de armas de precisão semi-autônomas Golden Horde. Ao mesmo tempo, o exército russo começou a testar sua bomba aérea Drel, capaz de destruir até uma bateria de artilharia com uma única explosão.

StormBreaker US GBU-53/B

GBU-53/B StormBreaker

Mike Jarrett, vice-presidente da Raytheon Air Warfare Systems, que fabrica a bomba norte-americana, afirmou que o StormBreaker é “uma arma que mudará as regras da guerra”.

"Acreditamos que a SDB II [Bomba de Pequeno Diâmetro] mudará as regras, porque poderá não apenas atingir as coordenadas GPS, mas encontrar e atacar alvos por conta própria", diz Jarrett.

A GBU-53/B StormBreaker é considerada uma bomba inteligente, ou seja, que utiliza inteligência artificial para localizar e rastrear automaticamente os alvos na terra.

"Os alvos são localizados com ajuda do novo sistema de radares e sensores infravermelhos. O reconhecimento do alvo e a identificação de objetos amigáveis ou inimigos é feita por meio de inteligência artificial que usa um banco de dados", explica o analista militar russo Dmítri Safonov.

Segundo ele, há várias características da StormBreaker que a diferenciam de outros mísseis autoguiados. Por exemplo, a bomba pode pode voar 73 km até seu destino e depois entrar independentemente em modo de combate, identificar e destruir alvos sem intervenção humana. Além disso, ela pode operar em condições de baixa visibilidade e até sob total escuridão.

Graças a seu tamanho e baixo peso (até 114 kg) um bombardeiro F-15E poderá levar até 28 bombas Stormbreaker. No futuro, os engenheiros pretendem modificar as bombas para que sejam compatíveis com os bombardeiros B-52, B-1B e B-2, que poderão transportar até 100 bombas a bordo.

Drel russa

Drel

A Drel é uma bomba de fragmentação com 15 elementos que contêm uma grande quantidade de projéteis de cobre. Os projéteis atingem a velocidade de 3 km/s e são capazes de perfurar blindagem pesada de veículos militares.

Ela é uma bomba de voo livre, e, assim, muito mais barata do que os mísseis de alta precisão, principalmente porque não possui motor a jato. A massa explosiva de da bomba representa 70% do seu peso total, e a ogiva da Drel tem cerca de 370 kg de substâncias explosivas.

A nova bomba pode ser lançada a uma altura de 30 quilômetros e, graças ao sistema de navegação Glonass, é capaz de alcançar o objetivo com grande precisão.

No futuro, a fábrica planeja equipar a Drel com novos motores de alta energia, o que aumentará significativamente o alcance operacional da nova bomba.

"A bomba russa é significativamente mais poderosa do que a dos Estados Unidos. A Stormbreaker, por sua vez, tem alcance maior, é muito mais precisa. Acredito que o início das vendas [da Stormbreaker] impulsionará os russos a aumentar o alcance da Drel", completou Safonov.

VEJA TAMBÉM: Congelado a -50°C, fuzil Kalashnikov continua disparando normalmente

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies