Brasil e outros países da América Latina serão primeiros a receber medicamento russo para covid-19

Rahel Patrasso/Xinhua/Global Look Press
Anúncio foi feito pelo diretor do Fundo de Investimento Direto Russo, Kirill Dmítriev. Apesar de eficácia em estudos preliminares, especialistas alertam contra uso indiscriminado de Avifavir.

O Brasil e outros países da América Latina, onde o número de casos de coronavírus têm aumentado consideravelmente, serão os primeiros a receber o medicamento Avifavir, informou o diretor do Fundo de Investimento Direto Russo, Kirill Dmítriev.

“Recebemos a solicitação de mais de 50 países e, é claro, a prioridade para nós são os países em que o número de pessoas infectadas com coronavírus está aumentando consideravelmente. Ou seja, o Brasil e muitos outros países latino-americanos”, disse Dmítriev em entrevista pelo Skype ao canal de televisão da Rússia-1.

Além disso, Dmítriev acrescentou que “agora muitos países carecem de medicamentos antivirais, e nós podemos atender a essa necessidade”.

De acordo com o Ministério da Indústria e Comércio da Federação Russa, entre os países que haviam solicitado o fornecimento de Avifavir estão membros da CEI (Comunidade dos Países Independentes), América Latina, Europa e Sudeste Asiático.

O Avifavir é o primeiro medicamento russo com ação antiviral direta que demonstrou eficácia em ensaios clínicos, revelando-se capaz de romper os mecanismos de reprodução do novo coronavírus. No entanto, apesar de eficácia em estudos preliminares, especialistas alertam contra uso indiscriminado de Avifavir devido a ausência de embasamento clínico suficiente.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies