Principal veículo de infantaria russo terá novo lançador de granadas e armas antitanque

O BMP-2M equipado com o módulo Berejok,

O BMP-2M equipado com o módulo Berejok,

Mikhail Voskresenskiy/Sputnik
A modernização aumentou a capacidade de combate do BMP-2M soviético em quatro vezes e o tornou equivalente no campo de batalha aos veículos de infantaria estrangeiros mais modernos.

No final de 2019 as Forças Armadas russas receberão a versão modernizada do principal veículo de combate da infantaria do país, o BMP-2M.

O novo sistema de controle de incêndio do modelo permite capturar alvos de maneira remota com ajuda do computador, enquanto os soldados poderão focar nas decisões sobre quando abrir fogo.

O BMP-2M equipado com o módulo Berejok no campo militar de Alabino durante o fórum internacional Army-2019.

O BMP-2M será equipado com dois lançadores de mísseis guiados antitanque Kornet, que permitem eliminar veículos blindados a uma distância de até 5 km.

O veículo blindado será equipado com a versão mais recente do módulo Berejok, que, segundo os desenvolvedores, permite aumentar em quatro vezes a capacidade de combate do veículo.

A nova torre é uma modernização do canhão BMP-2, equipado com um sistema de controle automático de incêndio.

O BMP-2M também receberá um canhão automático de calibre de 30 mm e um lançador de granadas AG-30, que, aliados aos mísseis antitanque Kornet, permitem combater de maneira mais eficaz alvos blindados a uma distância de até 10 quilômetros.

Próxima modernização

Segundo o Ministério da Defesa russo, os especialistas já estão terminando o plano da próxima modernização e robotização dos veículos de infantaria russos.

Modulo de combate desabitado AU-220M

De acordo com uma fonte no complexo militar-industrial que preferiu não ser identificada, os militares querem tornar o BMP em uma  "torre sobre rodas automática" com o módulo AU-220M desabitado, usado no novo tanque T-14 Armata.

Isso significa que toda a tripulação ficará escondida na parte mais segura do veículo e poderá controlar as ações a partir dos computadores.

"Os especialistas estão testando o novo canhão de calibre de 57 mm e novas munições criadas especialmente para o módulo desabitado do veículo. O sistema de fogo deve ser capaz de disparar até 80 projéteis de artilharia por minuto a uma distância de até 12 km", disse a fonte.

"Além disso, o módulo em desenvolvimento poderá disparar 10 projéteis com um rastilho controlado remotamente e detonar todos os projéteis simultaneamente”, completou.

VEJA TAMBÉM: As 10 superarmas que o Exército russo emprega no Ártico

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies