Rússia construirá sistema de alerta prévio para a China

Ruslan Shamukov/TASS
Com equipamento, Pequim poderá detectar lançamentos de todos os tipos de mísseis a até 6 mil quilômetros de distância.

No início de outubro, o presidente russo Vladimir Putin declarou que Moscou ajudará Pequim a criar um sistema de alerta antecipado de ataques de mísseis. Hoje, apenas a Rússia e os Estados Unidos têm tecnologias desse tipo.

"Isto que revelarei, provavelmente, não é um grande segredo: no momento, estamos ajudando nossos parceiros chineses a criar um sistema de alerta antecipado de ataque de mísseis (...) Isto é algo muito sério que aumentará drasticamente a capacidade de defesa da China, porque apenas os Estados Unidos e a Rússia têm esses sistemas atualmente", declarou Putin durante a conferência de política externa Valdai Club.

O sistema é composto de estações de radar terrestres, segundo o editor-chefe da revista “Arsenal Otétchestva” (Arsenal da Pátria), Víktor Murakhôvski. “Esses radares podem detectar lançamentos de mísseis do outro lado da Terra, calcular a trajetória e o provável local de impacto", disse.

Na Rússia, as estações de radares “Vorônej”, localizadas ao longo das fronteiras do país, operam nas bandas VHF e podem detectar lançamentos de mísseis terrestres e marítimos.

"Não se trata de uma arma ou um equipamento de guerra ofensivo, mas um sistema que cria um campo de radar contínuo em torno da China a até 6 mil quilômetros de distância. A visibilidade do sistema depende do tipo de antenas encomendadas pelo cliente. Os lançamentos de mísseis de longa distância são determinados com ajuda de satélites", explica o analista militar do jornal “Izvêstia”, Dmítri Safônov.

Segundo ele, os sistemas de radares chineses serão ligados diretamente aos sistemas de defesa antiaérea russos “S-400 Triumf”, que a China adquiriu anteriormente da Rússia.

Ao contrário dos sistemas de alerta, os S-400 serão preparados para interceptar os mísseis.

“Os sistemas ‘Vorônej’ e seus análogos calculam a trajetória de voo do míssil e transmitem esses dados às unidades de lançamento S-400, que determinam as coordenadas do projétil e preparam-se para o lançamento. O objetivo é derrubar o alvo a uma distância de 250 quilômetros," explica Safônov.

LEIA TAMBÉM: Quem são os principais aliados da Rússia?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies