Embora tenha lutado 80 anos atrás, caça MiG-3 ainda impressiona; veja

MiG-3

Alex Polezhaev [CC BY 2.0]
Aleksandr “Sasha” Pokrichkin, segundo ás de caça da aviação soviética, teve 59 vitórias oficiais– e conquistou muitas delas no comando de um exemplar desta aeronav. Por incrível que pareça, ainda há um punhado delas prontos para voar.

O primeiro MiG-3 de série saiu da linha de produção no final de 1940. Na época do início da invasão nazista, mais de 1.200 caças foram fabricados. No entanto, um problema enfrentado pelos militares soviéticos é que eles não dispunham de pilotos suficientes treinados para manusear esse dispositivo. Muitos dos homens que os pilotaram para enfrentar a Luftwaffe estavam acostumados a aviões inferiores como os I-15 e I-16, de modo que não conseguiam tirar o máximo proveito das máquinas. 

Com uma velocidade máxima de 640 km/h, alcance de 820 km e teto de voo de 12.000 metros, o MiG-3 foi forçado a lutar em baixa altitude devido às duras condições de batalha contra os nazistas. Até mesmo executou ataques ao solo por um tempo, embora não fosse considerado eficiente em tal função.

Em 1942, os MiG-3 continuavam em serviço apenas nas tropas de defesa aérea e na Marinha russa. Foram tirados de combate no início de 1945.

VEJA TAMBÉM: MiG, o motor da aviação soviética 

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies