Venezuela mantém planos de construir fábrica da Kalashnikov

Legion Media
Empresa bélica russa declarou que, apesar de dificuldades, país latino-americano terá sua própria fábrica.

A Venezuela tem cumprido com todos os compromissos assumidos para a construção de uma fábrica da Kalashnikov que começará a funcionar dentro dos prazos estabelecidos, declarou na quarta-feira (5) à agência EFE Aleksadr Mikheev, diretor-geral da Rosoboronexport - única exportadora autorizada de armas e equipamentos militares da Rússia.

"Apesar de todas as dificuldades, a Venezuela cumpre seus compromissos e nossos especialistas estão nas bases onde as obras estão sendo realizadas. A Rússia é responsável pelo fornecimento e instalação do equipamento e acredita de que tudo começará a funcionar dentro dos prazos acordados", declarou Mikheev.

O acordo para a construção de uma fábrica de fuzis de assalto russos AK-103 e munições em Maracay, no estado de Aragua, na Venezuela, foi elaborado pessoalmente por Hugo Chávez. O documento foi assinado por Rússia e Venezuela em 2006. Um ano antes, o país latino-americano comprava 100 mil novos fuzis AK-103.

No entanto, a construção da fábrica foi postergada diversas vezes. Em 2014, as obras foram suspensas devido a uma fraude da empresa responsável pela construção. A obras foram retomadas somente em 2016.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies