Explosão de meteoro perto da costa russa liberou energia equivalente a 11 bombas de Hiroshima

Pixabay
Incidente em dezembro passado foi o segundo maior do tipo nos últimos 30 anos.

O segundo maior meteoro visto nos últimos 30 anos explodiu a 350 km da costa do Extremo Oriente Russo em dezembro passado, informou a BBC News, com base em revelações recentes da agência espacial americana Nasa.

Em 18 de dezembro de 2018, ao meio-dia, um corpo rochoso de vários metros de largura, entrou na atmosfera a uma velocidade de 32 km/s e seguiu uma trajetória com apenas sete graus de inclinação.

Em seguida, o meteoro explodiu a uma altitude de 25,6 quilômetros, liberando uma energia equivalente a 173 quilotons (173 mil toneladas de dinamite).

Com uma potência comparável a mais de onze vezes a da bomba atômica que atingiu Hiroshima (15 quilotons), fica atrás apenas do meteorito que caiu em Tcheliabinsk, no sul dos Urais, em 2013 (500 quilotons).

Segundo especialistas, um fenômeno dessa magnitude é normalmente esperado apenas duas ou três vezes a cada século.

LEIA TAMBÉM: Para onde vão as espaçonaves quando se aposentam? 

“Foi 40% da energia liberada em Tcheliabinsk, mas aconteceu sobre o mar de Bering, então não teve o mesmo efeito nem foi mencionado pela imprensa”, explica Kelly Fast, gestor do Programa de Observação de Objetos Próximos à Terra, da Nasa, na 50ª Conferência de Ciência Lunar e Planetária, nos EUA.

O corpo celeste passou despercebido devido a seu ponto de impacto, próximo à península de Kamchatka. A Força Aérea dos EUA registrou a explosão por meio de satélites militares e informou a Nasa, que por sua vez fez o anúncio.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies