Como a comida espacial russa evoluiu ao longo dos anos

Não, ela não vem em tubos! E, sim, você também pode prová-la!

Não, ela não vem em tubos! E, sim, você também pode prová-la!

Assessoria do Laboratório Russo de Comida Espacial
O estereótipo da comida espacial em tubos já está fora de moda. Ainda é possível encontrar os tais tubos na ISS (sigla do inglês para Estação Espacial Internacional), mas apenas para mel e molhos. Ou experimente na Terra – como suvenir.

Desde 1982, a comida espacial verdadeira é desidratada e embalada em sacos plásticos especiais para ausência de gravidade. Os astronautas precisam apenas adicionar água quente ou fria, dar uma boa chacoalhada e... voilà! A comida está pronta!

Depois disso, eles cortam a parte de cima do pacote, do lado oposto ao qual eles adicionaram a  a água, enfiam uma colher longa especial e começam a comer.

Carnes variadas embaladas em latas para o espaço.

A comida espacial é produzida na atualidade usando-se tecnologias especiais na Fábrica Experimental Birulevo, em Moscou. Quase 90% da comida consiste de água. Por isso, quando esta é retirada, o volume e o peso diminuem, o que tem papel fundamental nos voos espaciais.

Cada grama que é enviado ao espaço custa. E, assim, a comida deve ser desidratada.

Outro modo popular de se embalar a comida é com latas. Estas contêm principalmente carne ou peixe em uma geleia e podem ser esquentadas em um aquecedor elétrico especial.

É interessante notar que a Nasa abastece a ISS parcialmente com comida comum de supermercado que é embalada especialmente para viajar ao espaço.

Tubos de ricota russa espacial.

Há mais de 450 pratos no menu da estação espacial: a sopa de beterrabas borsch, a de pepinos em conserva rassolnik, língua bovina com azeitonas e muitos outros.

A ricota é muito popular na cultura russa. Ela também é indispensável para o funcionamento regular do corpo do cosmonauta, porque é rica em cálcio em forma biodisponível.

Este produto também vem em embalagem prática para trocas. Por exemplo, os cosmonautas russos na ISS permutam ricota por camarão e sashimi com astronautas norte-americanos e japoneses.

“As sopas russas foram uma descoberta de novos sabores para mim. Nunca tinha experimentado ricota com ‘falso-espinheiro’. Uma mistura bem fora do comum, mas muito gostosa!”, conta o comandante da tripulação francesa da missão Mars 160, Alexandre Mangeot.

Ele passou um mês na ilha Devon, no Ártico, onde sua tripulação comeu refeições do Laboratório de Comida Espacial.

Comida espacial para esperimentar na Terra

Na atualidade, humanóides comuns têm a chance de experimentar comida espacial de verdade.

Por muitos anos, as informações sobre a indústria espacial foram mantidas em segredo. Mas então o Laboratório Russo de Comida Espacial levou a comida espacial pela primeira vez ao mercado terrestre.

A tradicional sopa russa

Esta comida é produzida em tubos e latas na mesma Fábrica Experimental Biriulevo. Diferentemente da comida espacial desidratada contemporânea, ela vem pronta e não precisa da adição de água.

Apesar de as receitas e as tecnologias de processamento ainda serem mantidas em segredo, agora todo mundo pode comer como os cosmonautas russos.

O engenheiro Antôn Lopatin experimentou comida espacial pela primeira vez em uma conferência sobre o espaço. “Sempre pensei que a comida espacial não fosse gostosa. Mas o borsch do Laboratório de Comida Espacial tem exatamente o mesmo gosto do da minha mulher. Os tubos são bem práticos para comer no carro”, conta.

Os desafios da comida espacial

No começo da era espacial, os cientistas pensavam ser quase impossível comer na ausência de gravidade. Iúri Gagárin, o primeiro homem a ir ao espaço, tinha uma importante missão em seu voo espacial de 108 minutos: tentar comer!

Purês e sopas em bisnagas.

Verificou-se então que isto era possível. Na ausência de gravidade, ocorrem muitas mudanças no corpo humano. Por exemplo, o cálcio se esvai dos ossos.

Assim, a dieta dos cosmonautas e astronautas deve ser estritamente balanceada em gorduras, proteínas e carboidratos. Os cosmonautas frequentemente sentem que o paladar muda no espaço.

Antes e durante o voo, eles podem se deliciar com pratos completamente diferentes. Além disso, a comida espacial é terapêutica para quem vai ao espaço.

Cientistas enfrentaram muitos obstáculos para encontrar a melhor solução para alimentar os astronautas: a falta de habilidade para usar pratos comum, a queda de peso dos produtos, a manutenção sem geladeira, a embalagem especial para comer na ausência de gravidade,

Além disso, eles tiveram que desenvolver receitas de comida pronta, considerando o trabalho dos astronautas sob condições estressantes com aumento da carga física e mental.

Assim, a comida espacial deve manter substâncias úteis, vitaminas e microelementos. A dieta dos astronautas deve ser estritamente balanceada – mas também deliciosa!

O pão deve ser preparado de maneira bem diferente para não criar migalhas e durar por muito tempo. O Instituto Russo da Indústria Panificadora teve que inventar uma solução para o uso do pão na ISS sem o risco de que as migalhas entrassem no sistema de ventilação.

Assim, ele inventou uma baguete em miniatura – grande o suficiente para apenas uma mordida. Em textura e sabor, o pão é quase indistinguível daquele que comemos nós, reles terráqueos, comprando na padaria da esquina.

Sabia que teve cosmonauta querendo levar goró para o espaço? Descubra aqui!

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies