Polo magnético da Terra está se deslocando do Canadá para a Sibéria

Pixabay
Última movimentação registrada foi de 55 quilômetros em apenas um ano. Embora inofensiva, alteração provoca mudanças nos pontos de referência para bússolas.

O polo Norte magnético está se movimentando mais rápido do que o esperado – e do Canadá para a Rússia. O polo Norte magnético, que não deve ser confundido com o polo Norte geográfico, é o ponto em direção ao qual a agulha de uma bússola aponta e, em 1831, foi precisamente posicionado no Canadá, em uma das ilhas do arquipélago do país no Ártico. Hoje, no entanto, os estudiosos estão registrando uma mudança extraordinária: o ponto, que sempre se moveu com velocidade e direção difíceis de prever, começou a girar em direção à Sibéria a uma taxa bem acima da média registrada até então. Enquanto, no século passado o movimento foi de cerca de 15 quilômetros por ano, no ano passado chegou aos 55 km. Para se ter ideia, desde o início do século 19, o polo Norte magnético movimentou mais de 1.100 km.

LEIA TAMBÉM: 8 recordes geográficos que tornam a Rússia imbatível 

A Noaa, a agência federal dos Estados Unidos para pesquisa sobre a atmosfera e os oceanos, adiantou em um ano a publicação do novo Modelo Magnético da Terra (antes programada para 2020), que regula a navegação marítima e aérea, e até mesmo as bússolas presentes em smartphones.

Segundo especialistas, a aceleração não deve ser motivo de preocupação, já que “faz parte da variabilidade normal do campo magnético da Terra”.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies