8 curiosidades sobre o míssil S-125 Pechora, usado pelos exércitos do Peru, Cuba e Venezuela

Srđan Popović (CC BY-SA 3.0)
Apesar de ter sido desenvolvido há mais de 60 anos e ser considerado por alguns como "obsoleto", este foi o único míssil que conseguiu de derrubar um avião furtivo dos EUA e continua a defender os céus de alguns países da América Latina.

1. A plataforma de mísseis antiaérea Neva foi desenvolvida em 1956, mas ficou famosa apenas na segunda metade dos anos 1960, quando foi fornecida ao Vietnã do Norte durante a guerra contra os Estados Unidos.

2. Devido ao sucesso desses mísseis contra aeronaves norte-americanas durante a guerra no Vietnã, Washington foi forçada a lançar uma série de missões aéreas especiais, conhecidas como "Mão de Ferro", para destruir as plataformas de lançamento dos S-125.

3. A plataforma também foi usada, com êxito, pelo lado árabe na Guerra do Yom Kippur, em 1973, e na Guerra do Líbano, em 1982.

4. Segundo a imprensa da Sérvia, a aeronave “invisível" F-117 Nighthawk, dos Estados Unidos, abatida em 28 de março de 1999 durante a campanha de bombardeio da Otan contra a Iugoslávia, foi vítima da versão iugoslava do S-125 Nevá.

5. O primeiro sistema móvel Pechora-2M com mísseis S-125 foi entregue à Venezuela em 2011. Como parte da cooperação militar russo-venezuelana, os militares do país sul-americano foram treinados na Academia Antiaérea Militar e de Defesa Cósmica de Moscou. Hoje, as Forças Armadas da Venezuela têm 11 sistemas Pechora-2M.

6. O Peru é o segundo país na região que adquiriu sistemas móveis Pechora e mísseis S-125. No total, 6 sistemas Pechora com 126 mísseis 5V27 foram distribuídos entre o Exército e a Força Aérea do Peru.

7. Na época soviética, os militares russos forneceram 150 mísseis S-125 às Forças Armadas Revolucionárias de Cuba.

8. Estes antigos mísseis soviéticos foram usados no conflito recente na Síria. Segundo a agência de notícias estatal russa Sputnik, o exército de Assad conseguiu derrubar pelo menos 71 alvos aéreos usando os S-125.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies