Tesouro pré-histórico é descoberto dentro de crânio de mamute na região de Moscou

Global Look Press
Estrutura óssea estava repleta de sílex, importante matéria-prima na época.

Arqueólogos que atuavam em Zaraisk, na região de Moscou, descobriram recentemente um crânio de mamute cujo interior guardava um tesouro ainda mais surpreendente. 

Ao desenterraram o crânio do paquiderme, os pesquisadores perceberam que, dentro da estrutura óssea, estavam escondidos não só objetos de sílex, bem como reservas da pedra destinadas à fabricação de ferramentas.

“Os arqueólogos nos oferecem descobertas quase todos os dias, sua profissão aventureira nos permite voltar vários milênios sem recorrer a máquina do tempo”, disse Narmine Tchirálieva, ministra da Cultura da região de Moscou, 

“Zaraisk é a nossa inesgotável caixa de surpresa, na qual, às vezes, aparecem esqueletos de animais que já sumiram e, por vezes, objetos incríveis da vida cotidiana de homens pré-históricos. A ideia de que já havia pessoas vivendo aqui há 23.000 anos mexe com todos. É importante destacar que alguns objetos, verdadeiros tesouros arqueológicos, podem ser observados no Museu de Zaraisk”, completou.

LEIA TAMBÉM: Após alteração de regras, pessoas comuns podem legalmente extrair ouro na Rússia 

O trabalho dos arqueólogos revelou novos detalhes sobre a vida humana na época. Além de ossos, dentes, presas e mandíbulas inteiras de mamutes, foi encontrada também uma lareira na qual eram preparados animais diversos, e uma ponta de arma em forma de lança – a primeira encontrada nesse local.

A última do tipo no sítio arqueológico de Zaraisk havia sido feita em 2005. Este é um local de importância global para o estudo do Paleolítico Superior, que abrange o fim do Paleolítico Médio e início do Neolítico. No ano passado, por exemplo, foi localizado também nessa mesma região um monumento de, pelo menos, 20.000 anos.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies