Por que o Exército russo ainda usa antigos hidroaviões soviéticos

Sergey Vladimirov
Alguns ambiciosos projetos de hidroaviões russos nunca decolaram, mas aqueles que saíram do papel continuam reforçando a Marinha – alguns com mais de 50 anos.

MBR-2 

Os hidroaviões MBR-2 foram efetivamente usados ​​durante a Segunda Guerra Mundial como aviões de reconhecimento e bombardeiros. “Vacas” ou “celeiros”, como os pilotos os chamavam, eram presas fáceis para o inimigo, devido ao casco frágil e lentidão. Por isso, eram usados ​​sobretudo para bombardeios noturnos. 

Beriev R-1

O primeiro hidroavião soviético propulsado por turborreatores, o R-1, era tão rápido quanto os principais caças a jato dos EUA, FH1 Phantom e F9F Panther. Mas, devido a problemas técnicos e alcance insuficiente, o hidroavião nunca entrou em produção.

Be-12

Este veterano serve nas frotas das marinhas soviética e russa há 58 anos e é o hidroavião ativo mais antigo da Rússia. A principal tarefa dos hidroaviões Be-12 é localizar e eliminar submarinos inimigos. Desatualizado, deverá ser substituído ou totalmente modernizado em um futuro próximo.

A-40

Desenvolvido nos anos 1980, o A-40 substituiu o Be-12 como o principal avião anfíbio soviético para ataque antissubmarino. O projeto entrou em colapso junto com a URSS, mas a pasta da Defesa está considerando dar uma segunda chance ao A-40.

Be-200

A única aeronave anfíbia com motor a reação do mundo, a Be-200 é uma máquina multipropósito. Pode ser reconfigurada para operações de busca e resgate, transporte de passageiros e cargas, além de patrulha marítima.

Durante missões de combate a incêndios, esse avião carrega até 12,5 toneladas métricas de água em segundos viajando pela superfície aquática e, logo em seguida, despeja sua carga contra o foco de incêndio. 

VVA-14

O Beriev VVA-14 foi uma tentativa fracassada dos projetistas soviéticos de criar uma aeronave anfíbia de decolagem vertical. Esse hidroavião poderia ser usado como um bombardeiro estratégico ou tático, e deveria ser equipado com uma arma nuclear. No entanto, com a falta de motores adequados para decolagem vertical, os projetistas converteram o VVA-14 em um veículo de efeito solo, e depois cancelaram o projeto. 

Beriev-2500

Com alcance de voo de até 16 mil km, essa aeronave anfíbia era planejada para o transporte de carga em longos voos transoceânicos. Teria sido o maior hidroavião da história, mas o projeto nunca saiu do papel.

Confira também como os pilotos soviéticos decoravam seus aviões durante a Segunda Guerra Mundial.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais
Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies